ÁGUAS DO MAR ...
Nídia Vargas Potsch
 
Quanto mais eu aperto
mais ela escorre pelos dedos.
Areia fina, ampulheta do tempo,
que o vento leva,
em torvelinho,
a bailar no espaço,
transmudando mundos diferentes
em variadas e seculares esferas
a rodar ... a rodar ...
 
Cada grão, pedaço de almas,
que se encontram
ou se rejeitam,
porque, simplesmente,
um dos lados,
deixou a desejar,
incapaz de dizer:
eu o amo, preciso de você!
Corações aos pedaços,
mutilados, remendados,
que caem livres ou
acorrentados a si próprios,
por orgulho desmedido, por vida vã,
sob as límpidas águas deste mar
que, ' Ad Eternum', os lava e
purifica a todo instante,
sem merecer ...