Aguardando ...
Nídia Vargas Potsch



No quadrado da noite
hoje não tem estrelas.
Céu cinzento, nuvens negras.
uma garoa fina como que a espreitar...



Acordando lembranças, doces lembranças,
difíceis de abandonar.
Um amor que foi embora
foi pra longe, não mais voltar ...



Ah ! Minha janela!
Olho-te aturdida e pensativa,
não tinha visto o tempo mudar.


É que algo também está parado aqui dentro ...
tremeluzindo a esperança mas fraquejando a
espera...
Ou não devo mais esperar ...?



Querida Nídia,
você lê o poema e a alma de quem escreve!

A esperança só morrerá nos pobres mortais,
mas em ti,  Nidiamiga,  faz parte de todos
os teus corpos: Físico, Mental, Emocional,
Duplo- Etérico........ etc
Portanto, seja o que for, DEVE esperar!
Que este Ano que se inicia para ti
seja Doce,  Feliz e Cheio de Realizações.
Beijo meu,

Rivkah

 

 

 

 

Voltar