TUA ALMA DE POETA
Luiz Poeta
 
 
 
Às 22 h e 47 min do dia 7 de janeiro de 2008 do Rio de Janeiro,
especialmente para a sensibilidade de Nidia Vargas Potsh
 
 
 
Eu sinto, minha amiga, esse frio
Que  sentes bem no fundo do teu peito...
Quando teu coração insatisfeito
Descobre no teu peito um só vazio..
 
 
 
Sabe, eu também sinto esse abandono
Que chega de repente em tua vida
E abre novamente essa ferida
Que faz teu coração dormir...sem sono.
 
 
 
Sabe, minha amiga, há momentos,
Que  somos tão iguais, tão semelhantes,
Que é só tu habitares meus instantes
Que eu me sinto nos  teus, meus  sentimentos.
 
 
 
A  mente não controla a  ansiedade
Que coração insiste em preservar
A lágrima é o grito desse olhar
Que busca em outro olhar a liberdade.
 
 
 
Cada recordação que nos visita,
Encontra-nos buscando o coração
Num canto infeliz da solidão,
Enquanto nossa dor não nos evita.
 
 
 
E embora disfarcemos nossas dores
Mais tristes, retocando a maquiagem,
Notamos nossa verdadeira imagem.
No espelho, sob a luz dos refletores.
 
 
 
Sabe, minha amiga, essa dor fútil
Que parece que some e sempre volta,
É como um passarinho que se solta,
Quando voar sozinho é triste...e inútil.
 
 
 
Mas teu lado poeta fantasia
A  dor da solidão que te inquieta,
Por isso tua  alma de poeta
Transforma tua dor em poesia.
 
 
 
Misted:
Tube: Sussu Luz
Wav: CD: Lover's Romance - Always on my mind
Tutorial: Mineko
Arte e Formatação: JoiceGuimarães
 
 
 
VOLTAR