A Testemunha!

Nídia Vargas Potsch

No tempo em que bizinha Joaquina morava em Minas Gerais, havia perto de sua fazenda, uma espécie de pequeno vilarejo, onde moravam duas de suas vizinhas e conhecidas. Estas mulheres trabalhavam na roça "pra mode de ajudá" seus respectivos maridos no serviço. Todos os dias de manhãzinha, após um magro café com pão dormido, lá iam elas, cada uma com sua filhinha no colo, para uma lida diária, chovesse ou fizesse sol.
O fato verídico aconteceu numa manhã cinzenta e um pouco fria ...
Pelo caminho, assistiram a um crime bárbaro. Chocante!
Um homem, desconhecido do lugar, dava uma surra em outro trabalhador local. Tão violenta foi que chegou a matá-lo.
O sujeito foi preso. As mulheres como testemunhas, foram intimadas a comparecer a Delegacia para esclarecer os fatos ao Delegado de Polícia.
Em lá chegando, apenas D. Filomena conseguiu falar e D. Isaurinha apenas balançava a cabeça em concordância. Não conseguia dizer nada, por ser tímida e por conta do trauma violento pelo qual passaram...
D. Filomena desandou a falar numa rapidez tal que em vez de clarear a situação, só serviu para confundir mais ainda a cabeça dos presentes. Eis o que foi dito e anotado pelo escrivão.

(Antes de ler, procure imitar a mulher e o faça o mais rapidamente possível, juntando inclusive as palavras como se fosse uma longa frase sem pontuação ... e veja o resultado...)

"Eu cá minha cumadi cá dela tumemo café e fumo. Chegando lá eu topei dando cum a vara de tocá gado e o seu Zeca Gome nem fe deu"

Tradução: rsrsrs...

"Eu com a minha filha, e a comadre com a dela, tomamos café e fomos (pra roça).Chegando lá, topamos (com um homem) dando com a vara de tocar gado (no seu) Zeca Gomes, que nem fé deu "...

Observação: Falar rapidamente pode causar atropelos e as vezes confundir o interlocutor... rs. Procure falar pausadamente em certas situações. Todo cuidado é pouco!

* * *

A Delegacia de S. João Del Rey está lotada de casos semelhantes a este.

Que você tenha um excelente fim de semana sem atropelos e
cuidado com o que diz... Explique-se pausadamente!




@Mensageir@
Rio, 28/04/2002

Com Carinho, Nídia.

 

 

VOLTAR