Amor Sublimado 

Nídia Vargas Potsch

 

 

 

Sufocado no peito fica,

estremecido amor,

amor que transborda

ao bater do relógio da vida...

 

É um tic tac descompassado

sempre à espera de guarida

querendo se aconchegar.

 

Não há poesia que a ele resista

ou rima que o classifique,

nem ritmo que o explique.

Amor que surpreende a todos nós!

 

Num piscar de olhos,

 afronta os versos que surgem,

quer medir forças, driblando

com a pena que o imagina

a trilhar recantos especiais...

 

E deste embate silente, poesias brotam

 ainda que desgarradas,

 maltratadas por dúvidas, ilusões, 

ou rancores vivenciados,

ainda que

 expressem desejos sublimados...

 

@Mensageir@

Rio, 09/09/2012

 

 

 

 

 

 

 

 

No amor, o que mais querer

Eugénio de Sá

 

 

No amor, o mais querer, por melhor sorte

Que alguém que ama pode auspiciar

É ver o ser amado alçar-se forte

De volta à vida, a se regenerar.

 

Assim se apoucam preocupações

Assim se aplaca a dor que nos doeu

Assim nos voltam gratas orações

Assim se louva o que se recebeu.

 

Ceguemo-nos ao mal que nos afronta

Quando outro mal ao outro mais molesta

Porque esse mal é sempre o que mais conta.

 

Sejamos submissos ao que não se contesta;

O princípio de amar e o que ele aponta

Façamos do bem querer a nossa gesta!

 
 
 
 

Carinhosamente, Nídia.

                                                                                                                                        Tag Menezes
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Créditos:
Top Dourado de Leila Mel
Tube: by Mary
Arte final Sueli
 
 
 
 
Voltar