Beija-me, Amor!
Nídia Vargas Potsch
 
 
No dia em que sentir seus lábios
sobre os meu, nos meus, entre os meus,
será uma ventura mais que deliciosa 
aventura louca e carícia para sonhar...
 
 
Quero-o ardente como deve ser
pois estarei fremente de paixão
fogo em brasa,  cheia de tesão,
a espera do que vai acontecer...
 
 
 
 
 

 

BEIJA-ME ASSIM...

Humberto Rodrigues Neto

 

 

 

 

Não quero de ninguém beijos formais,

quero-os assim, febris e irracionais,

iguais aos teus, vorazes e abrasivos...

Desejo-os plenos de arrepios ardentes

ricos de tórridas paixões mordentes,

arrebatados... sensuais... lascivos!

 

 

Beija-me em ânsia, descaradamente,

pouco importa nos veja tanta gente

num beijo de luxúria e de pecado!

Que esse teu beijo cale em mim tão fundo

que eu possa nele, as perdições do mundo,

sentir de um modo vil e depravado!

 

 

Beija-me louca e escandalosamente,

beija-me lúbrica e ousadamente,

num tom grosseiro, quase cafajeste!

Beija-me, pois, do modo mais relasso

e que esse beijo seja o mais devasso

de quantos foram os que já me deste!

 

 

 

 

 

* * * * * * * * * * *

 

 

 

 

 
 
 
 
 
@Mensageir@
Rio, 13/04/2010
 
 
 
Com Carinho, Nídia & Humberto-Poeta.
 
 
 
            Nídia
 

 

VOLTAR