Moça
Silsaboia


Havia uma moça nesta rua
ela era transparente...
Mares e estrelas a atravessavam
inundavam sua saia delicada.
Ninguém ouvia o som dos seus passos.
Ela flutuava.
Nunca mais se soube dela
dizem que morreu numa noite enluarada
e um manto sem estrelas a cobriu.
E nunca mais ninguém a viu.

 





A Moça
Nídia Vargas Potsch


Havia sim, uma moça tão trasparente
que diáfana eram suas vestes,
enfeitadas de flores em profusão,
miosotis, lírios, rosas em botão,
no andar sorrateiro e leve,
cruzava ruas, trilhas e becos
onde buscava as mais estranhas emoções ...
Fugia do sol, acalentava-se à noite com as estrelas
na imensidão dos sentimentos que surgiam,
pouco a pouco em cada coração.
Era conhecida pelo singelo nome de SAUDADE!



@Mensageir@
Rio, 17/07/2010


 

 

 

 

Voltar