Versinhos indesejados
Nídia Vargas Potsch
 
 
Trago no corpo tatuado
As rosas do nosso amor
Por tanto te amar, navego,
 Em mar inconstante, invasor...
 
Destino ou Sina cruel
Aguardar a nossa hora
No silencio fico a cismar
É possível ser agora?
 
A cama vazia te espera
Nas madrugadas sombrias
Que vem e vão como ondas
 A desfazer tal quimera...
 
@Mensageir@
Rio, 09/07/2012
 
 
 
 
 
Versinhos desejados
Eugénio de Sá
 
 
Quem chama indesejados
a versos que o não são
Só quer ver concretizados
Desejos do coração
 
A pressa não traz promessas
que o fado a todos amarra
Porque a calma pede meças
E é primazia da saga
 
E quando a cama esfriar
nas noites de desesperança
Há memórias pra esquentar
Um coração onde há esperança
 
 
 
Carinhosamente, Nídia.

 

 

                             
 
 
 

******
TUTORIAL FEITO POR SUELYDAM
TUBE ANA RIDZI
 
Grata Suely, pelo lindo envio presente, NVP.
 
 
* * * * * *
 
 
 
 
 
Voltar