Adornos de um Coração
 
Nídia Vargas Potsch
 
Impulsionei fantasias
pedalando em sonhos
que ficaram entre nuvens,
carregadas pelo vento,
levando a tiracolo
um embornal de estrelas.
O brilho já de longe
ofuscava o colorido que
o amanhecer tingia
de alaranjado do sol,
acentuando a maciez,
o dourado dos cabelos ...
 
E na poesia
deste encantamento pueril
onde jogos e brincadeiras
são partilhados,
atrelaram-se veleidades
de corpos que se queriam...
 
As recordações
fixaram-se nos desejos do presente.
Mas, ver a esperança brotar,
para alimentar ilusões,
fez naufragar o coração,
este caçador de emoções,
porquanto as expectativas
desse fugidio amor
turvou os verdes olhos
pelas lágrimas de espera...
Cansados de ser,
maltratados por não ter...
Nunca ter!
 
 
@Mensageir@
Rio, 14/08/2010
 

Publicado no Recanto das Letras em 25/08/2010
Código do texto: T2459311
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Tube didier femme
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Voltar