Coração Imolado!
Nídia Vargas Potsch


Entre árvores secas olho a brisa fresca
revirando as folhas mortas
no chão árido como eu.

Pensativa, por alguns instantes,
atormentada, vacilo.
Sussurro teu nome, meu amor, mil vezes.

Quero que ouças este arfar em alarido
vindo do meu coração cansado de tentar
convencer-te a ouvir a melodia da vida.

Se esfregar-me inteira com óleo bento,
exorcizaria teu fantasma do meu pensamento?
Sairia do avesso dessa emoção sem alento?

Não creio! Essa sensação de rejeição
que carrego n'alma e aumenta minha solidão,
desejava que sumisse, abandonasse meu viver.

O coração aparenta estar em esfrangalhos
como se o imolaste, vezes sem conta,
em praça pública...

Ah, Amor imperfeito... Amor me ouça:
quebre esta redoma que insistes em manter.
Principalmente neste outono da vida,
em detrimento
do que possa vir a acontecer...

 
 
 
 
 
* * *
 
 
@Mensageir@
Rio, 25/05/2010
 
 
Carinhosamente, Nídia.
Com Muito Amor no Coração !!!