SEM VOCÊ 
Nídia Vargas Potsch
 
 
No meu caminhar incansável
entre causas perdidas
torturando-me o pensamento,
persiste esta vida vazia,
sem sentido,
amorfa e errante,
revirando-me
o coração atormentado,
já tão remendado
 por mágoas passadas,
que gira e flutua no espaço
à procura de novas emoções...
 
 
Caminho sem rumo certo,
 sem prumo,
barco à deriva
num porto de cais esburacado
em dia parcialmente nublado.
Relógio sem ponteiro
indicando hora marcada
e a poeta prisioneira
de poemas sem rimas.
 
Sem você,
 me encontro fragmentada.
Continuo quebrada
em mil pedacinhos
feito caco de louça, partida...
Sem você,
 não sou inteira,
 permaneço refém!
 
 
   
 @Mensageir@