Tempestade Interior!
Nídia Vargas Potsch



Minh'alma falece aos poucos,
A solidão me devora as entranhas
O Ser Solitário não habita em mim.

Circunstâncias abissais
queimam meus circuitos internos
que como fumaça, se esvaem.

Este pecaminoso pensar,
alheio ao vazio e ao silêncio ao redor,
emerge sem querer, à revelia,
trazendo culpas à tona.

Um assustador desarmamento de idéias,
colocando-me frente a frente à realidade,
tem muito a me dizer...
Não há análise, muito menos síntese que dê jeito.

Apenas a platéia aguardando o desenrolar do ato,
a inquirir o desfecho final:
Que marcas tatuadas são estas no rosto,
quem será o responsável, você ou eu?



@Mensageir@
Rio, 04/08/2011

 

 

Imagem jpg
Wav: A-Ha - Crying in the rain

 

 

 

Voltar