Na orgia das palavras
os verbos surgem em forma de prece.
Orações inacabadas sussurradas a esmo...
O intuito é o de aconchegar-se, o mais possível,
ao regaço do Criador... pela Criatura que sofre...
 
E no verbo franjado de amor
percebe-se a magia desse encontro,
que num olhar meigo revela
a fragilidade do não acontecer...
 
E no encantamento das palavras não ditas
como pétalas suaves das flores,
Teu perfume esparge por todo canto,
camuflando suave melodia ouvida ao acaso...
 
E passos ecoam nas nuvens do
meu pensar, do meu querer,
na fantasia desta alma que devaneia...
 
E as horas da madrugada passam
vertiginosas criando expectativas frustradas,
emoções desencontradas rolando em cristais
soltos pela face que espelha amor infindo,
num sorriso doce e um tanto amargo...
 

@Mensageir@RJ.
 Carinhosamente, Nidia.
Arte e Formatação:
AugustaBS
 
 
 
VOLTAR