Insanidade

Nídia Vargas Potsch
  
 
Insano recital de conivências e cumplicidades  vemos transparecer por todos os lados. Capricho que muitos estão a aplaudir, mesmo que o capítulo da novela esteja a se exaurir. Esgotou-se! Será que estes semblantes fidalgos em elegantes ternos de casimira, contemplativos de suas obras, conseguirão terminar com nossos esparsos devaneios?
Desvendar os mistério e estratégicos conluios, chegar ao cerne das questões,  por trás das maquinações é quase que impossível. Quanto mais se remexe, mais nítidos ficam, os envolvimentos e as mentiras amplamente divulgadas pelos noticiários. E todos nós desejando respostas condizentes à espreita de algo melhor acontecer. Quantos se tornaram insanos? Tantos, que já viraram

 
 
 
 
 
 
 
@Mensageir@
Rio, 02/06/2011
 
Carinhosamente, Nídia.
 
 
 
 
 
 
 
 
Imagens internet
Midi: Noturno - Chopin
Arte e formatação Marilda Ternura
 
 
 
VOLTAR