Palavras da @Mensageir@:
 
 
Não há como haver Memória se o Tempo não passar...  A memória depende da passagem do Tempo! Senão vejamos: 
Guardadas as devidas proporções, o que existe entre Tempo e Memória é que caminham subordinados um ao outro, conforme a vida vai nos demonstrando isso e conscientemente, passamos a perceber melhor esta junção...
Percebemos que a Memória fala daquilo que foi e ficou nas lembranças. Quanto  ao Tempo, ele nos lembra um porvir, nos mostra o que irá acontecer. E, inclemente, o Tempo  não retrocede, sempre avança e cria suas próprias histórias de vida. Ah, Tempo! Como devemos fazer para que perduremos na memória daqueles que nos foram caros e ainda o são?
Ah, Memória! Será que com o Tempo corrido a nossa reelia,  fará a mente nos pregar alguma peça e apagar as lembranças havidas?
São dúvidas que ficam, dúvidas que vem e vão e permanecem por inteiro...
Poderá o Tempo ser o guardião da Memória e preservar o desejo de relembrá-las através de sua passagem...? O que nos faria um enorme bem! Mas vivê-las e revivê-las é imprescindível! Tanto, a Memória quanto o Tempo nos "acordam" para um viver Pleno, por este motivo, estarmos sempre atentos e recordando... a Vida que se levou e que estamos levando... Calma e Serenidade são requisitos para compreender e atravessar o Tempo com o equilíbrio necessário para se Viver Bem usufruindo das Memórias que nos são próprias.
 
@Mensageir@
Rio, Abr./2015
 
Carinhosamente, Nídia.
 
 
Arte e Formatação:
AugustaBS
 
 
 
VOLTAR