Coração Ausente!
Nídia Vargas Potsch




Acorrentados, muitas vezes amordaçados, ou floridos e alienados, encontramo-nos frente aos balanços da vida... Nos jogam pra lá, ora pra cá e ficamos na corda bamba como em cima de um abismo sem saber bem para onde ir...
Ao estender os braços, encontramos o vazio. Vazio dos sentimentos, vazio das emoções, um vazio completo que nos isola de tudo e de todos, cada vez mais nosso viver se torna solitário... Gradeados e afastados de quem mais amamos! Ironia do destino, ou Sina a se cumprir? A natureza se tornou perigosa, chuvas torrenciais, causando grandes enchentes, nevascas violentas, secas se alastrando feito rastilho de pólvora, mananciais secando... O que dizer dos Homens, então? Há violência gratuita grassando por todos os lados com requintes de crueldade nunca vistos. Por toda parte,  foge-se do perigo. Usamos a internet e as redes sociais para nos comunicar diariamente. Através do computador, ficamos sabendo o que acontece no mundo, em questões de segundos ou instantaneamente.
Nos indignamos, esbravejamos, xingamos, mas precisaríamos agir. Largar da comodidade de nossas casas e olhar mais para o que se passa ao redor.
Como poetas, divulgar, versejar as entrelinhas que muito poucos percebem, comentar e denunciar, se for o caso, mas nunca deixar qualquer fato relevante passar um brancas nuvens! Nunca permitir que seu coração endureça, fique alienado ou ao se eximir, se ausente!




@Mensageir@
Rio, 08/02/2012

 

 

Imagem jpg
Wav: Andre Rieu - La veuve loyeuse

 

 

 

Voltar