SEGREDOS DA ARTE D'ALMA
Nídia Vargas Potsch


 



Escritores, contistas e poetas não são máquinas de escrever, digitadores, ou simples fabricantes de sonhos...
Suas produções ficam limitadas ao seu modo de ver, expressar e sentir o mundo. Limitadas ao momento de cada qual. Não há reclamação, pressa ou pressão que dê bons resultados e consiga êxito, na obrigação
de se apresentar um novo texto quase que diariamente. Simplesmente é inviável! Pense! Vai muito além do esperado... Haja inspiração!
Produzir textos, contos e poemas não é o mesmo que cimentar tijolos para erguer uma bela parede no prumo certo. É muito mais complexo do que isso. Não há limites para a imaginação humana mas nem por isso, colocar idéias e vivências e ou experiências num papel em branco é tão fácil como parece.
Não apresse um poeta, cobrando-lhe rimas sutis, métricas e técnicas complicadas ou vigentes. Não apresse um contista, um escritor, reinvindicando-lhes novas e belas estórias ou capítulos todos os dias. Admire o inusitado! Reflita! Leia e releia! Não descarte!
O Sentimento e as Emoções é que deverão sobressair em cada trabalho, em quaisquer falas, para melhor expressar aquilo que nos encanta a Vida. E com a beleza de seus textos e versos, de reais sutilezas, surpreender o leitor... com os percalços desta Arte d´Alma!


 



@Mensageir@
Rio, 2005
Refeito em: 04/04/2009

 

 

 

Voltar