" Onde quer que vás, leva o teu coração! "
                       Confúcio
 
 
 
 
Paciente Espera
Nídia Vargas Potsch
 
Ao acordar da noite
e da indesejada solidão
surgiu imensa letargia
final de longa espera
cansaço, desânimo
olhos fixos no tempo
que jamais retorna...
 

Horas perdidas
ou reflexões intensas?
O que sei eu...?
 
Apenas uma parada necessária
para refazer forças
encarar o mundo de frente
com todas as dúvidas
neste aprendizado constante
entre o bizarro, o louco e o decadente...
 

Ah! Envelhecido espelho
onde reflete a imagem duvidosa
de alguém que não sou eu...
Ou serei...?
 
 
@Mensageir@
Rio, Abril/2009
 
 
 
 
 
 
Com Carinho, Nídia.
 
 

 

Tubes Mara Pontes

 

 

 

 

Voltar