Amor Selvagem!
Nídia Vargas Potsch
 
 
 
Esse amor feroz que nos domina,
nos escravisa, cresce, mas nos encanta, 
 se desenvolve como formosa planta,
cria asas, baila como dançarina...
 
Ao som envolvente da música da vida,
faz volteios e mais volteios sem fim.
No aconchego dos abraços, quer guarida,
no aroma doce dos travesseiros de alecrim.
 
Faz da alma, um lirismo adolescente,
Do sorriso que desponta nos lábios
a alegria desse amor complacente.
 
Selvagem, na proporção que é exigente,
Surpreende a todo instante nos desafios,
Tão suave e cativante, quanto eloquente!
 

 

 
@Mensageir@
 
Carinhosamente, Nídia.

 

 

 
 
 
 
 
 
 
Créditos
 
Imagem Cedida por Dani@
 Arte
Auber Fioravante Júnior
Música Wav
6 - Rolling Stones
You Can't Always Get What You Want

 

 
 
VOLTAR