Quando o Amor se vai...
Nídia Vargas Potsch
(Soneto)




Sombras escuras só pairam invertidas
Em noites de tempestades inesperadas.
Calculo que sejam mensagens cifradas
Que mostrem feridas nas despedidas.


Perderam-se Emoções e Sentimentos
Jogados ficaram em vários cantinhos
Partituras, flores murchas, carinhos,
Um a um foram-se todos os alentos...


Não importa o tempo que durar
Mas a saudade nua e crua vai ficar.
Talvez, com ela, consiga perceber


Se foi dolorosa a despedida aguentar
Maior engano eximir-se de amar.
Sem um amor é impossível viver!




@Mensageir@
Rio, 25/01/10

 

 

Arte e Formatação: Angela Weikamp
 

 

 

Voltar