Sou Amor...
Nídia Vargas Potsch
 
 
Emoção carpida do âmago do ser
Sublimada, camuflada, o quanto der
Poesia singela sem rimar o querer
É muito, muito fácil de se esconder...
 
Longas horas sem tempo, ó amar!
Chama atenção em qualquer lugar.
Suspeito que recue para dar, se doar
Cujo odor peculiar não o deixa negar...
 
Quando harmonia, há paz e redenção
Coração rebelde, esquece e comanda
Que faz da Razão simples sensação...
 
Mas o sentimento que aflora ligeiro
Flutua leve nos braços d'alguma ciranda
 Amor possui berço e dono... é certeiro!
 
 
@Mensageir@
Rio, 2011
 
Carinhosamente, Nídia.

Art/Formatação:

Dama Misteriosa

Tubes:

Créditos

Vanuza Tubes.

Acent.

 Enviado Por Grupo De Troca.

 

VOLTAR