O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA

Nídia Vargas Potsch

A ARTE EGÍPCIA:
(Capítulo 3)


"O tempo ri para todas as coisas, mas as pirâmides riem do tempo".
Provérbio Árabe

 

O Egito foi uma das mais importantes civilizações da antiguidade. A cultura Egípcia desenvolveu-se ao longo das margens do rio Nilo que fertilizava estreita faixa de terra, na mesma época em que os povos da Mesopotâmia se desenvolviam na região entre os rios Tigre e Eufrates.


"O Egito é uma dádiva do Nilo."
Heródoto


Mapas do Egito Antigo:
 

   

 

Pontos que facilitam o estudo da Arte Egípcia:

*Unidade Cultural
*Material empregado
*A Escrita



Os egípcios acreditavam na vida após a morte. Por isso a arte estava estreitamente relacionada com a religião. Eles possuíam diversas divindades. Eram politeístas. O faraó, considerado um deus vivo, "Filho do Sol", representava os poderes: religioso, político, econômico, e militar. Quando o faraó morria, seu corpo era embalsamado e levado para uma pirâmide ou construção funeráris especial, para conservar seu corpo e seu rico tesouro de possíveis saques e roubos. Se a múmia fosse violada, a alma não se incorporaria nunca mais.



Alguns deuses Egípcios:

       

                                                          Amon                  Anúbis              Deus-Sol-Ré             Hórus                        Ísis

       

                                          Neftis              Osíris                Ptah                  Seth               Hator

 

O Egito Antigo era uma sociedade:

teocrática
( Forma de governo onde a autoridade emana de Deus.
É exercida por seu representante na Terra. )
hierática
( Referente a coisas sagradas )
hierarquizada
( Elite dos privilegiados que dominavam)

 

Sua Economia era agrária. Faziam comércio exterior onde havia trocas com diferentes povos vizinhos.


Sentimentos do DUAL:

A dualidade estava sempre presente na vida Egípcia com grande intensidade, diria que muito marcante. Observem:


 

Religião

  VIDA

 X          MORTE
 

   Vida Terrena 

Vida Eterna

Proporcionou um grande desenvolvimento das ciências da medicina, da astronomia, de diferentes conhecimentos sobre ervas, trepanação, mumificação, etc.
 

Solo

TERRA ÁRIDA      x  

  TERRA FERTILIZADA

 

               Deserto

                          Hummus

                             
O Deserto avermelhado sempre contrastando com a terra negra junto ao Nilo.

Economia 

  CHEIA           x

VAZANTE

 

               Plantar

Colher

O que caracteriza abundante alimentação para o povo.
 

 O Papiro:

Não podemos falar de escrita Egípcia, sem antes nos referirmos ao papiro.

           

                                                     Flor                                 Confecção                              Caule

A planta do papiro é considerada sagrada e fartamente encontrada no Delta do Nilo. O talo do papiro pode atingir até 6 metros de comprimento. A flor da planta, composta de finas hastes verdes, lembra os raios do sol e é exatamente por ter esta analogia com o sol, divindade máxima desse povo, que o papiro era considerado sagrado. O miolo do talo era transformado em papiros e a casca, bem resistente depois de seca, utilizada na confecção de cestos, camas e até barcos. Acredita-se que a técnica dos papiros foi desenvolvida pelos egípcios desde 4000 a.C.

Vegetação e modo de fazer:

Os caules de papiro eram cortados em pedaços de aproximadamente quarenta centímetros, divididos em finas lâminas, achatadas cuidadosamente com um martelo de madeira. Em seguida, um tecido é estendido e as lâminas juntas em camadas, ficam sobre o mesmo, perfeitamente arrumadas e alinhadas em sentidos diferentes. Tudo é molhado, coberto com outro tecido e martelado demoradamente. A seiva e a água formam uma cola formando os rolos de papiros.

     

 

    

exemplos de papiros

Papiro dos mortos com o julgamento final frente ao Deus Osíris.
São cenas do Livro dos Mortos

 

A Escrita Egípcia:


Toda cultura que vai se complexando possui sua escrita. A escrita pictórica, ou os pictogramas ( representada por figuras e símbolos estilizados ) deram origem aos famosos hieróglifos que era a escrita Sagrada Egípcia. ( Obs: A escrita cuneiforme, era a usada na Mesopotâmia).
Quando a "Pedra de Roseta", bloco de granito negro, foi decifrada por Champollion em 1822, facilitou o estudo dos hieróglifos e consequentemente, de sua história através dos achados em túmulos, orações, paredes pintadas em templos e palácios, papiros diversos, e sempre acompanhadas por belas pinturas. ( Porque proporcionou aos investigadores um mesmo texto escrito em egípcio demótico, grego e em hieróglifos egípcios. Como o grego era uma língua bem conhecida, a pedra serviu de chave para a decifração dos hieróglifos.) Nos sarcófagos foram encontrados rolos de papiros com orações escritas em hieróglifos e ilustradas por pinturas, são os chamados 'Livro dos Mortos". Hoje em dia os egiptólogos já decifraram todos esses sinais e a simbologia destas imagens. Observem a imagem do meio.

Escriba sentado

     

Os sinais e ou as imagens e suas correspondentes letras do alfabeto.
 

A Pintura:


Possui características especiais: A Pintura era realizada nas paredes internas das pirâmides, nos palácios, nos templos, sarcófagos, etc.

Seus temas eram: Cenas da vida da época
Cenas do faraó com suas esposas
Cenas com os diferentes deuses.

     

  

Pinturas em diferentes cenas

  

                            Pintura Mural Histórico da Vida             Pintura Mural Tumba de Senefer

Pintura Mural
Cena de julgamento - Deus Anúbis

 

As Regras usadas para pintar:


Os Egípcios representavam a figura humana mostrando as partes do corpo na posição mais visível, isto é, de perfil. Por isso o rosto (cabeça), as pernas, os pés e os braços eram feitos nessa posição. Mas os olhos e o tronco eram representados se frente. Estas regras eram obrigatórias, seguidas pelos artistas da época e hoje chamada de "Lei da Frontalidade".

     

Observem as cores, os olhos e o posicionamento dos corpos.

Gansos

O céu e a água sempre azuis

 

 Demais Características da Pintura Egípcia:

A decoração era com sentido religioso.
As Figuras empregadas eram estilizadas.
Havia repetição de imagens e elementos.
As Figuras Humanas eram colocadas no mesmo plano.
Os Homens eram pintados de marrom avermelhado.
As Mulheres pintadas da cor ocre. (mais suave).
O tamanho das pessoas representadas variava de acordo com sua posição social.
Os Faraós, por exemplo, eram retratados em escala maior que todos.
Os servos, consequentemente, eram os menores nessa escala.
As formas piramidais e simétricas.
As figuras rígidas e em absoluto repouso.
O céu, o mar e rios pintados sempre de azul.

Ornamentos egípcios mais usados.

A pintura Egípcia não procurava representar um espaço tridimensional, ou seja, ela não queria mostrar a realidade. (questão religiosa - aprisionamento da alma).

Pintura nas paredes e na abóbada


As Formas:

1) Equilíbrio - O módulo, o ritmo. (medida que gera toda arte egípcia).
2) Abstrata - Síntese da forma. (Forma enxuta, magra, estilizada e esteriotipada)
3) Eterna - Traz o Conservadorismo. (grandioso, estático, pesado - material durável, pedra).
4) Sutil - Elegância aristocrática.

A Arte e o Povo:

Era dirigida. A classe sacerdotal e a elite dominante detinham seu monopólio. A Arte era totalmente voltada para a religião (hierática). O povo criava e realizava suas esculturas em barro ou madeira, material perecível.

A Arquitetura Egípcia:

As Pirâmides, as Mastabas e os Hipogeus:


Das sete maravilhas do mundo antigo, as oitenta pirâmides são as únicas sobreviventes. Foram construídas por volta de 2690 a.C., a 10 km do Cairo, capital do Egito. As três mais célebres pirâmides de Gizéh, Quéops, Quéfren e Miquerinos, ocupam uma área de 129.000 m2. A maior delas, Queóps, foi construída por um dos faraós mais ricos, e empregou cem mil operários durante 20 anos. Se enfileirássemos os blocos de granito das três pirâmides, eles dariam a volta ao mundo. Tudo o que sabemos hoje sobre o Egito Antigo nos foi possível conhecer por causa da durabilidade da Arquitetura Egípcia. E não era por acaso. As pirâmides foram feitas para durar. Como abrigavam o corpo do faraó morto embalsamado e todos os seus pertences, a partir destes achados magníficos e da compreensão de sua escrita, nos foi possível estudar e compreender a vida desta civilização. Os egípcios acreditavam que, enterrando seu rei numa pirâmide, ele se elevaria e se juntaria ao sol, tomando o seu lugar de direito com os deuses. Existem também, além das pirâmides, as Mastabas e os Hipogeus que também são construções funerárias, comparem.

                                       Pirâmides                                                       Interior da Pirâmide

                                   Mastaba Interna                                               Mastaba Externa

                      Hipogeu                                            Hipogeu Interno                                   Hipogeu Externo

 

A Esfíngie de Gizeh:


Esfinges são monstros fabulosos com cabeça humana e corpo de leão. A mais conhecida é a esfinge de Gizeh, nas proximidades de Mênfis, a pouco mais de cem metros das pirâmides e junto à foz do Nilo. A grande esfinge é uma das maiores estátuas lavradas numa única pedra em todo o planeta.A esfinge egípcia é uma antiga criatura mítica, icônica, tida como um leão estendido — animal com associações solares sacras — com uma cabeça humana, usualmente a de um faraó. Simboliza força e sabedoria. A esfinge de Gizeh é um símbolo que representou a essência do Egito durante milhares de anos. Apesar da cabeça da esfinge ter sofrido desgaste e prejuízos de toda sorte ao longo de sua existência, traços de sua pintura original ainda podem ser vistos perto de uma das orelhas. Acredita-se que a esfinge era completamente pintada e muito colorida.

Esfíngie de Gizeh
com pirâmide ao fundo

O Templo de Luxor:

Templo de Luxor iluminado

                         

                       Obelisco                              Entrada do Templo de Abu Simbel                                  Grandiosidade

Exemplos de Arquiteturas Egípcias

 

 Tutankhamon:
 

O Tesouro de Tutankhamon encontra-se hoje no Museu do Cairo. Ele é uma das grandes atrações no museu, havendo um setor inteiro somente para abrigar e exibir tudo o que foi encontrado.

 

     

                            Falcão                                  Mural - Ele e aesposa                              Trono cerimonial                    Máscara Mortuária

Máscara mortuária de Tutankhamon e parte de seu tesouro encontrados no Vale dos Reis.

   

            Banco,bracelete, jóia e escultura                                Observem a maravilha e riqueza deste acervo

As Estelas Tumulares:


As estelas tumulares e o caixão ( sarcófago) eram os elementos mais importantes dos túmulos egípcios. A estela tumular identificava o morto pelo nome e seus títulos, etc. Como nossas lápides de hoje.

      

estelas tumulares

 

                                                  pintura - estela tumular                                                                             sarcófago

 

Obs: No Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, é possível serem vistas e apreciadas diversas múmias, sarcófagos e inúmeros objetos egípcios.Vale a pena a visita.
 

As Esculturas:

Eram rígidas, feitas em monobloco, isto é, num só bloco de pedra. Portanto maciças, sem muitas reentranças na pedra. A imagem do faraó era esculpida em granito, pedra muito durável e colocada em sua tumba, pois os egípcios antigos acreditavam que a alma do faraó se manteria viva na imagem. Uma expressão egípcia para a palavra escultor era: "Aquele que mantém vivo!" Existiam colossos e também miniaturas (com cerca de 30 a 50 centímetros )


Exemplo de esculturas variadas.

  

Canopos - vasos pequenos para guardar as vísceras dos mortos.

                             

                                                           Museu do Louvre - França                           Museu de Berlim - Alemanha

em alabastro
É uma designação aplicada a dois minerais distintos:
gesso (sulfato de cálcio hidratado) – alabastro dos dias atuais,
calcite (um carbonato de cálcio) – geralmente o alabastro dos antigos.

O Relevo:

O relevo obtém seu efeito através da modelagem, da luz e da sombra, enquanto a representação pictórica o obtém pelos traços e pela cor.

O relevo pode ser Alto ou Baixo:

Alto relevo:

A superfície a volta da figura é retirada até a profundidade de cerca de cinco milímetros. Geralmente utilizada nas partes internas dos templos e tumbas.

    

Alto relevo

Baixo relevo:

Os contornos das figuras são talhados na superfície que fica sendo as figuras moldadas dentro delas. É melhor apresentada ao sol, realça mais. Usada, portanto, nas partes externas dos templos e em esculturas.

Baixo relevo

 Jóias e utilidades:
 

Outro tipo de trabalho escultórico utilizando os recursos do relevo, era feito com pastas coloridas, vidro e pedras preciosas. Muito usado em decorações e confecção de artefatos de luxo. Estas obras são pequenos objetos tais como: porta-jóias, caixas, caixinhas, jarros, jóias variadas, pentes, espelhos, etc. E objetos maiores como: sarcófagos, baús, bancos, máscaras funerárias e outros.
 

                                         

                                               Caixa de Jóias                                            Calendário em alto relevo

    

   

   

 

Jóias e artefatos de grande beleza.
Observem bem e poderão ver os escaravelhos e o olho de Hórus nas jóias.

A Música Egípcia:


Em escavações arqueológicas realizadas no Egito, foram encontrados baixos-relevos, afrescos, mosaicos, textos e objetos que atestam atividades musicais de caráter religioso, militar e social e ainda a existência de instrumentos musicais. Graças a estas escavações e aos afrescos encontrados em templos e túmulos, é possível reconstruir com relativa precisão o desenvolvimento dos instrumentos musicais e da música na civilização Egípcia. Seus instrumentos musicais se dividiam em: instrumentos de percussão, instrumentos de sopro e instrumentos de cordas.De percussão, temos: crotalo, sistro, tambores. De sopro, temos as flautas. De cordas, temos: cítaras, harpas, trígonos. A música era parte importante da vida Egípcia, principalmente em ritos religiosos e festas populares.

   

Mulheres tocando flauta, alaúde e harpa. Afresco encontrado em Tebas, Egito entre 1422 a 1411 a.C.

     

                                            Tambores                                                                      Harpa                                                 Flauta

Curiosidades e informações:



Extraídas do Site de Khan el Khalili - Brasil
onde cita como Fonte: O Fascínio do Antigo Egito
(ambos sites bem interessantes com informações preciosas sobre a vida no Antigo Egito- aconselho visita).

a) Para os Egípcios, a pirâmide representava os raios do Sol, brilhando em direção à Terra. Todas elas, foram construídas na margem oeste do Nilo, na direção do sol poente.

b) A grande esfinge é uma das maiores estátuas lavradas numa única pedra em todo o planeta e a data provável de sua construção pelos antigos egípcios foi no terceiro milênio a.C. mas existem controvérsias.

c) A Mumificação e o embalsamamento - O processo, chamado de mumificação, tem como fim preservar o corpo para a recepção do "espírito". Os antigos egípcios tinham o costume de embalsamar os seus faraós. Todos os órgãos eram retirados e os cadáveres eram enrolados em uma espécie de bandagem.Os órgãos internos retirados das múmias eram armazenados em pequenos vasos denominados canopos. Os faraós eram enterrados com todos os seus pertences.

d) O Calendário egípcio é considerado o primeiro calendário da história da humanidade. Na contagem, o ano possuía 12 meses de 30 dias cada mês, que perfazia 360 dias. Entretanto, 5 dias a mais eram adicionais no final do ano para comemorar o aniversário de Osíris, Hórus, Ísis, Neftis e Set, com isso o calendário totalizava 365 dias. Já dividiam o dia em 24 horas, foi estudado e reconhecido pelos astrônomos gregos, tendo se tornado o calendário base da astronomia por muito tempo.

e) As palavras: Algumas palavras da língua portuguesa, como alquimia, química, adobe, saco, papel, gazela e girafa, têm origens na língua egípcia. De igual forma, certas expressões, como "anos de vacas magras", são também de origem egípcia. A palavra algoritmo deriva do nome árabe do inventor da álgebra - e é apenas uma das palavras portuguesas de origem árabe, como álcool, azimute, Nadir, zênite, café, laranja, garrafa e oásis. Existem muitas mais.

f) As Palavras Cruzadas foram criadas no Egito há 2000 anos; encontradas num fragmento de papiro, remanescente do período Greco-Romano com pistas e enigmas baseadas nos mesmos princípios da moderna palavra cruzada.

g) No Egito Antigo, os escaravelhos ou besouros eram seres sagrados, sendo usados como amuletos relacionados com a vida após a morte e a ressurreição.
h) A química, a física, a álgebra e a astronomia são de origem árabe.

i) Os hieróglifos foram usados durante um período de 3500 anos para escrever a antiga língua do povo egípcio.

j) Os papiros eram os papéis da antiguidade. Apesar de aparência frágil, duraram milhares de anos e sua conservação nos trouxe muito da vida existente naquela época. Os escribas desenhavam os hieróglifos (alfabeto egípcio), nos papiros e paredes.

l) O incenso: O incenso era muito valioso no Egito Antigo. Muitas árvores foram importadas do Oriente para serem plantadas naquele país. Seu uso para reverenciar divindades, meditar e limpar ambientes é bastante comum há milhares de anos. De acordo com antropólogos e historiadores, os primeiros povos a prepararem incensos foram os egípcios. Os incensos eram preparados com ervas e resina de árvores consideradas sagradas em ritual secreto.

m) Foi em Luxor, no Vale dos Reis, que aconteceu a descoberta do túmulo de Tutankhamon, em 1922, pelo célebre arqueólogo e egiptólogo inglês Howard Carter. Em Luxor concentram-se basicamente 6% de todos os monumentos existentes no mundo e sempre estão descobrindo novos sítios arqueológicos e tumbas.

n) Olho de Hórus é um símbolo, proveniente do Egito Antigo, que significa proteção e poder, relacionado à divindade Hórus. Trata-se de um dos amuletos mais usados no Egito em todas as épocas. Este símbolo também, frequentemente é usado e relacionado a Maçonaria. Hoje em dia, o Olho de Hórus adquiriu também outro significado e é usado para evitar o mal e espantar inveja (mau-olhado), mas continua com a idéia de trazer proteção, vigor e saúde.

o) As moradias do Antigo Egito eram feitas com barro do Nilo, material resistente para a construção de casa. As moradias eram retangulares com um pequeno pátio e escadas, conduzindo a um telhado sustentado por vigas de palmeira. Os mais ricos tinham em suas casas paredes decoradas e banheiros com cerâmica.

p) Alabastro é uma designação aplicada a dois minerais distintos: gesso (sulfato de cálcio hidratado) e calcite (um carbonato de cálcio). O primeiro é o alabastro dos dias atuais; o segundo é geralmente o alabastro dos antigos. São encontradas no Museu do Cairo; exemplo, os vasos canópicos onde foram depositados as vísceras de Tutankhamon, entre outros.


A Alimentação:

 

pintura mural retratando agricultura


A carne sempre foi consumida em quantidade, principalmente a do boi. Ao que parece, a carne era servida geralmente cozida, provavelmente em molho, mas havia alguns tipos de carne que eram assadas no espeto. Entretanto, a carne era uma comida de luxo para a maioria das pessoas, que talvez só a consumissem em ocasiões especiais como, por exemplo, nos banquetes funerários. Pedaços de carne são representados freqüentemente nos túmulos em estelas, ou compondo o conjunto de produtos dispostos nas mesas de oferendas como eterno alimento para o falecido.

Rabanetes, cebolas e alhos fazem parte da dieta egípcia, sendo que estes últimos eram muito apreciados.

Melancias, melões e pepinos aparecem representados com freqüência nas pinturas dos túmulos, sendo que neles os arqueólogos também encontraram favas, ervilhas e grãos de bico.

Nas hortas domésticas cultivava-se a alface, a qual os egípcios acreditavam que tornava os homens apaixonados e as mulheres fecundas e, assim, consumiam-na em grande quantidade, crua e temperada com sal e azeite.

A maior parte da população comia peixe normalmente.

Pintura Mural onde se vê peixes e aves



Com relação aos frutos, consumiam uvas, figos e tâmaras, sendo que estas últimas também eram empregadas em medicamentos. A romeira, a oliveira e a macieira foram introduzidas no Egito somente por volta de 1640 a.C.

O azeite era utilizado não apenas na alimentação, mas também para iluminação.

Frutos como laranjas, limões, bananas, peras, pêssegos e cerejas não eram conhecidos dos antigos egípcios, sendo que os três últimos só passaram a ser consumidos na época romana.
O leite era recolhido em vasos ovais de cerâmica tampados com um punhado de ervas, evitando-se fechar totalmente a abertura, para afastar os insetos do líquido.

O sal era utilizado na cozinha e em medicamentos.

O papel do açúcar era desempenhado pelo mel e pelos grãos de alfarroba. Embora o mel e a cera de abelha fossem buscados no deserto por homens especializados nesse ofício, também havia criação de abelhas no exterior das residências.

Pães e bolos eram preparados nas casas das pessoas ricas e também nos templos, o que incluía a moagem dos grãos. É possível, entretanto, que moleiros e padeiros independentes trabalhassem para atender as pessoas humildes. A panificação era um trabalho conjunto de homens e mulheres.

 

 
diversos cultivos sendo observados
por supervisor


A bebida número um dos egípcios era a cerveja, o vinho, sem dúvida, ficava em segundo lugar na preferência etílica dos egípcios, havendo grande comércio do produto.
Os arqueólogos, em suas escavações, encontraram pratos, terrinas, travessas, cálices, facas, colheres e garfos, o que abre a possibilidade para o consumo de sopas, purês, pratos guarnecidos acompanhados de molho, compotas e cremes.

As baixelas dos ricos eram de pedra: granito, xisto, alabastro e uma certa espécie de mármore. As taças de formato pequeno eram de cristal. Por outro lado, o material pictórico deixado pelos egípcios mostra que, à mesa, eles se serviam muito dos dedos (comia-se com as mãos).

 


Vestimentas:

 Alguns tipos de vestimentas Egípcias.

 

*************

Vídeos do Youtube para complementar
o que foi dito acima.

Se desejar ver mais (existem um grande número para serem vistos,
basta acessar o youtube em Egito Antigo.)
Obrigada, NVP.


Egito Antigo 1 ( Prof. Fulvio Pacheco - Hist. Arte 2 )
http://www.youtube.com/watch?v=arV6kE736mc


Pirâmides
http://www.youtube.com/watch?v=3dqntIbqC38

Templo de Karnak, Luxor, Egipto
http://www.youtube.com/watch?v=p5Vd9g5awk8


Visita ao Museu Egipcio do Cairo em apenas 10min.
http://www.youtube.com/watch?v=FeE-X8viC2s


Egito Antigo 2
http://www.youtube.com/watch?v=Bly2IMV08Co

Egito Antigo 3
http://www.youtube.com/watch?v=AJWMrxSAu4M


Hist. do Egito - Parte 1 ( inglês)
http://www.youtube.com/watch?v=gRW7h8PeXtk


Arte e Arquitetura Egípcias
http://www.youtube.com/watch?v=IKMMtNlNUIA

Deuses e Deusas do Antigo Egito
http://www.youtube.com/watch?v=yblUAKoSNcg

                             
***********

Apesar da Civilização Egípcia ter terminado há dois mil anos,
parte do seu legado continua vivo no mundo atual.


Filhos do Sol!
Nídia Vargas Potsch



No surgir de cada manhã, fulgurante sol,
enfatiza a beleza, a poesia da vida,
ao nos ofertar alento e esperanças...

Menino-Rei, Sol do povo,
nos traga sua luz, dê-nos sua luz,
seu esplendor latente!

E, às margens deste nosso Nilo
onde suas águas fertilizam o solo,
imploramos aos deuses com preces e cânticos,
que a colheita seja farta, bendita,
em abundância para todos.

E, à sombra das pirâmides
de durabilidade inquestionável,
vigiados de perto, pela Esfíngie de Gizeh,
com recompensas e sortilégios de todo tipo,
que repousem em paz nossos ancestrais...

Que nossas Vestais possam acender seus lumes,
cantar, dançar ao luar, com rituais e boas palavras
para reafirmar todas as bênçãos recebidas...

Com toda a exuberância revelada ao mundo,
pela grandeza da Cultura que nos foi exibida,
curvamo-nos agradecidos ante o legado da
Inesquecível Civilização Egípcia.

@Mensageir@
Rio, MAR/2011

******************

Espero que tenham apreciado esta deliciosa viagem!
Até o próximo capítulo onde faremos
uma interessante jornada pela Grécia Antiga.
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Obrigada, NVP.



Créditos:

Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte e back: Marilda Conceição.
Música: Arabic instrumental music. (Youtube - Chatmid)
Imagens: Google.


Bibliografia:

1) Apostilas do Colégio Pedro II - (Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo)
2) Povos Primitivos, Série Aventura Visual - Ed. Globo
3) Série Origens do Saber - O trabalho dos escultores. e A criação da Pintura.
4) When the Pyramids were built - The Metropolitan Museum of Art
5) Série Grandes Impérios e Civilizações - O mundo Egípcio Vol 1. - Ed, Del Prado.
6) Escrita, das paredes ao computador - Editora Ática S.A. - Maria Cristina Visconti e Zila A. junqueira
7) Consultas e Fontes: Wikipédia, o site - O fascínio do Antigo Egito e ao site de Khan el Khalili - Brasil.
8) Imagens e textos auxiliares do Google.
9) Vídeos - Youtube



Agradecimentos:

Às três Amigas e Poetas: Luli Coutinho, Marilda Conceição e à
Webdesigner Joice Guimarães, e a todos que contribuíram para
que este trabalho se tornasse possível.
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.
 

 

Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 

 

Voltar