O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA

Nídia Vargas Potsch

 
 Os Primórdios da Idade Média:
Capítulo 8  -  Parte 1
 
 
Introdução
Um Pouco de História:
 
 
Esquema do Mundo Conhecido
Até a Id. Média.

 
 

 
 
A Idade Média compreende o milênio entre os séculos V e XV, aproximadamente desde a queda de Roma até o Renascimento.
Durante a Idade Média, ( 300 Dc. 1400 Dc.) a arte européia foi marcada por uma forte influência da Igreja Católica, porque no século IV, o Cristianismo se estabeleceu como religião oficial do Império Romano.
Muitos dos templos religiosos e prédios públicos dos romanos e dos gregos foram destruídos, abandonados ou reaproveitados pelos novos cristãos. Lentamente, das ruínas do passado mundo pagão, um novo estilo começou a ser forjado, uma linha artística e estética que melhor expressou o sentimento religioso dos povos convertidos à Cruz. 
 
Desde então, a religião cristã passou a exercer uma forte influência em todas as formas de arte. A Igreja atuava nos aspectos sociais, econômicos, politicos, culturais e religiosos da sociedade, evidentemente. Logo, a arte Medieval teve como forte marca temática, a religião. Pinturas, esculturas, arquitetura, construções, livros e outras manifestações artísticas eram influenciadas e supervisionadas pelo clero católico.  
 
 
Idade Média
 
No século V, o Império Romano do Ocidente foi invadido por tribos bárbaras e, durante algum tempo, somente os mosteiros continuaram os trabalhos de arte e aprendizagem. A parte Oriental do Império Romano, Bizantina, sobreviveu e aí a pintura não sofreu alterações. A Igreja de Santa Sofia, em Constantinopla, é um bom exemplo da arte bizantina. Possuía emormes cúpulas, luxuosa decoração, em mosaico sobre fundo dourado e as pedras rendilhadas dos capitéis. O mesmo luxo estava presente nas miniaturas e esculturas em marfim. A arte bizantina exerceu, durante a Idade Média,( a partir do Sec V até a consolidação do feudalismo ) poderosa influência sobretudo no Oriente.
 
Velho mundo - Fra. Mauro
 
A Idade Média européia divide-se em duas etapas bem distintas, para efeito de estudo, mas que se mesclam como toda História: a alta Idade Média, que vai da formação dos reinos germânicos, a partir do século V, até a consolidação do feudalismo, entre os séculos IX e XII; e a baixa Idade Média, que vai até o século XV, caracterizada pelo crescimento das cidades, a expansão territorial e o florescimento do comércio. Foi um periodo de guerras, peste negra, cruzadas, revoltas camponesas, cavaleiros e servos em sistema feudal, num feudalismo com grande influência da Igreja, como já dissemos.
 
                                                                Alta Idade Média: Período Românico                                                            
Baixa Idade Média: Período Gótico
 
São características da Idade Média:
Economia ruralizada, enfraquecimento comercial, supremacia da Igreja Católica, sistema de produção feudal e sociedade hierarquizada.
 
Mapa da Europa no tempo da Primeira Cruzada
 
 
Todo os poderes jurídico, econômico e político concentravam-se nas mãos dos senhores feudais, donos de lotes de terras (feudos). A sociedade era estática (com pouca mobilidade social) e hierarquizada. A nobreza feudal (senhores feudais, cavaleiros, condes, duques, viscondes) era detentora de terras e arrecadava impostos dos camponeses. O clero (membros da Igreja Católica) tinha um grande poder, pois era responsável pela proteção espiritual da sociedade. Era isento de impostos e arrecadava o dízimo. A economia feudal baseava-se principalmente na agricultura. Existiam moedas na Idade Média, porém eram pouco utilizadas. As trocas de produtos e mercadorias eram comuns na economia feudal. Na Idade Média, a Igreja Católica dominava o cenário religioso. Detentora do poder espiritual, a Igreja influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento na Idade Média, assim como nas Artes que eram desenvolvidas nessa Época. A igreja também tinha grande poder econômico, pois possuía terras em grande quantidade e até mesmo servos trabalhando. Os monges viviam em mosteirose eram responsáveis pela proteção espiritual da sociedade. Passavam grande parte do tempo rezando e copiando livros e a Bíblia.
 
Portugal - Mapa Mundi Sec. XV   
Anterios as Grandes Navegações.
 
 
A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam.  Esta era marcada pela influência da Igreja, ensinando o latim, doutrinas religiosas e táticas de guerras. Grande parte da população medieval era analfabeta e não tinha acesso aos livros. A arte medieval também era fortemente marcada pela religiosidade da época. As pinturas retratavam passagens da Bíblia e ensinamentos religiosos. As pinturas medievais e os vitrais das igrejas eram formas de ensinar à população um pouco mais sobre a religião.Podemos dizer que, no geral, a cultura medieval foi fortemente influenciada pela religião. Na arquitetura destacou-se a construção de castelos, igrejas e catedrais.
 
 
O que se fazia de Arte na Idade Média:

 
 1)  O aprendizado nos Mosteiros:

 
Entre os séculos V e XII, os monges cristãos eram os artistas mais importantes da Europa. Eles copiavam à mão a Bíblia e outros livros religiosos num tipo de pergaminho particularmente fino ( pele de animal ) chamado velino. A grande maioria dos textos era escrita em latim. Eles iluminavam as margens, as letras iniciais e, por vezes, páginas inteiras, com gravuras e com decorações. A sala em que os monges criavam e/ou copiavam os seus textos tinha o nome de scriptorium. é daí que vem o mome dos nossos escritórios. Os mosteiros serviam também como abrigo para os viajantes, sendo as primeiras “casas de hóspedes” modernas.
 
Abadia de Beauport (observem o uso de pedras nas fachadas)
 
esquema usual
 
 
Monges copistas   -  (scriptorium)
 
2) O uso da folha de ouro:
 
O ouro pode ser espalhado em folhas muito finas, que chegam a ser transparentes. Era aplicado em pinturas ou em manuscritos decorados com iluminuras. Por vezes tinha um desenho impresso.
 
 folha de ouro
 
3) Iluminuras:
 
Arte que nos antigos manuscritos e em certo número de incunábulos, alia a ilustração e a ornamentação, por meio de pintura a cores vivas, ouro e prata, de letras iniciais dos parágrafos, flores, folhagens, figuras e cenas, em combinações variadas, ocupando parte do espaço comumente reservado ao texto e estendendo-se pelas margens, em barras, molduras e ramagens.  Do francês enluminure, sf.  ( Aurélio, dicionário).
 
 
      
 
 
       
 
iluminuras diversas
 
4) Os  Afrescos:
 
Um afresco é uma pintura executada na argamassa ainda úmida da parede. Seca muito rapidamente e o pintor deverá trabalhar bem depressa. Não é possível consertar erros, a não ser que derrube e construa outra parede depois ou retite totalmente a argamassa.
 
   
                                         Séc.XII                           Afresco - Giotto          Afresco Convento de San Marco
 
 
5) As pinturas nas Igrejas:
 
Na Europa Ocidental, as pessoas discutiam sobre se deviam permitir as pinturas nas igrejas. No século VI, o Papa Gregório, o Grande, declarou que as pinturas eram úteis para o ensino da bíblia às pessoas , que não sabiam ler. A partir de então, tornou-se usual a existência de pinturas nas Igrejas. As pinturas de altar, denominavam-se retábulos.
 
 
Papa Gregório, o Grande
 
6) Os retábulos:
 
Eram pinturas executadas em painéis articulados de madeira. Ricamente coloridos, contavam a vida dos  mártires cristãos e santos, todo ele decorado em ouro e cores vibrantes. Ao iniciar a missa, o sacerdote abria o retábulo e o colocava no altar ao lado do missal para que todos os fiéis pudessem vê-lo. Ao terminar a missa, o retábulo era recolhido e guardado na sacristia para evitar ser roubado.
 
Retábulo  N. S de Fátima e anjos ao redor
( foto de miniatura - NVP.)
 
7) As esculturas:
 
Na sua origem, as esculturas de madeira eram pintadas de dores vivas. Também existiam esculturas talhadas em pedra. Representavam santos e cenas da Bíblia Sagrada.
 
  
Pietá em madeira - 1390                    Madona em madeira  
                                                              1400 Cracóvia, Polônia
 
 
8) Os Vitrais:
 
Eram usados para decoração e iluminação das igrejas. Os vitrais representavam cenas da Biblia ou desenhos geométricos decorativos.
Vitral - é uma peça obtida através de composição com pedaços de vidro ou de outros materiais coloridos e transparentes, que deixam passar a luz solar, unidos geralmente por chumbo.
 
                
 
Vitrais
 

 9) Os ícones:
 
Os artistas do Império Bizantino pintavam quadros de santos e figuras sagradas. E representavam estas figuras idealizadas, irreais, sempre sobre fundo dourado usando folha de ouro. A estas figuras damos o nome de ícones.
Ícone quer dizer = imagem.
 
 
N. S. do Perpétuo Socorro
 
10) Os Mosaicos:
 
Foi na Arte Bizantina que o mosaico foi criado e aperfeiçoado.  Consiste na colocação, lado a lado, de pequenos pedaços de pedras coloridas diferentes, pedacinhos de mármores, vidro, cerâmica, etc, fixados numa base apropriada, geralmente formando figuras. Nesses mosaicos eram representados personagens sagrados, como por exemplo: Cristo, Santos, Apóstolos, o Imperador Justiniano, A Rainha Teodora, etc. que eram reproduzidos com as características das personalidades do Império. O mosaico foi a forma de expressão artística preferida pelo Império romano do Oriente.
 
 
 
 
Resumindo:

 
Com a conversão de boa parte da Europa ao cristianismo, a partir do século IV, a honorável arte clássica, (Greco-Romana ) tida como pagã, foi abandonada com a vitória da nova crença pregada pelos Apóstolos de Jesus. Portanto a Arte voltou-se, quase que inteiramente, para a religião com algumas exceções.
 
 
********************************
 
Vídeos para complementar o que foi explanado acima:
 
Se desejar ver mais (existem um grande número deles para serem vistos)
basta acessar o youtube em Arte na Idade Média.
 
 
 
Idade Medieval
http://youtu.be/mJHT6d9jJhs
 
O Teatro - Comédia na Id. Média
http://youtu.be/K77XoExsVz0
 
Castelos Medievais  ( Parte 1 e 2 )
http://youtu.be/SFRttpDAHxU
 
http://youtu.be/0ByOeEEjTWc
 
Id. Média - O Mundo feudal
http://youtu.be/GCvI86kVsvo
 
 
Monastérios Medievais   ( narrado )
http://youtu.be/2mGMpLSRGdE
 
 
A vida nos Monastérios ( Narrado )
http://youtu.be/NT235JiSbow
 
 
Igrejas Medievais
http://youtu.be/-y5Yhrieryo
 
 
Curiosidadesda Idade Média
http://youtu.be/r2DcGmH2o14
 
 
 
 
O Claustro
Nídia Vargas Potsch
(indriso)
 
 
Aqui, isolado do mundo ao redor,
Segue-se vivendo e orando todo dia
alcançando um nirvana ilusório...
 
Etéreo, flutuante, nada terreno,
Promessa de vida que é um sonho
Usufruir vida na eternidade ainda longe...
 
Solidão, nem sempre é difícil.
Ser solitário é estar vazio, inclusive do Eu!
 
@Mensageir@
Rio de Janeiro
 
 
 
* * *
  
 
Espero que tenham gostado desse passeio pela Idade Média,
subdividida em 3 partes.
Veremos também os Estilos Românico e Gótico,
2ª e 3ª Partes do tema Id. Média,
assim como alguns dos principais pintores da Época, a seguir.
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Obrigada, NVP.   
  

**************************

 

Créditos:

Texto e compilações:  Nídia Vargas Potsch
Arte  e Molduras:   Marilda Conceição / Joice Guimarães

Música: Soud of silence - Canto Gregoriano ( Colaboração: Auber F. Junior )

Imagens:  Google
Videos - Youtube

    
Bibliografia: 

1) Apostilas do Colégio Pedro II - (Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo)
2) História Mundial da Arte - Bertrand Editora. Vol 2
3) Arte Comentada - Caril Stricklasnd, Ph.D.  - Ediouro.
4) Hist. Geral da Arte - Id. Média  -  H.W. janson  - Martins Fontes / SP.

Fontes:
www.planetaeducacao.com.br
Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube

 Agradecimentos:

Às três Amigas e Poetas: Luli Coutinho, Marilda Conceição e à
Webdesigner Joice Guimarães, e a todos que contribuíram para
que este trabalho se tornasse possível.
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.

 

Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 

 

 

VOLTAR