O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA - 2013
Nídia Vargas Potsch

Capítulo 4  - Parte 1
 
O Realismo na Europa
( 1881 - 1890 )
 
 
 

Realismo foi um movimento artístico e literário surgido nas últimas décadas do século XIX na Europa, mais especificamente na França, em reação ao Romantismo. Entre 1850 e 1880 o movimento cultural, chamado Realismo, predominou na França e se estendeu pela Europa e outros continentes. Os integrantes desse movimento repudiaram a artificialidade do Neoclassicismo e do Romantismo, pois sentiam a necessidade de retratar a vida, os problemas e costumes das classes média e baixa não inspirada em modelos do passado. O movimento manifestou-se também na escultura e, principalmente, na arquitetura. Com uma linguagem clara, os artistas e escritores realistas iam diretamente ao foco da questão, reagindo, desta forma, ao subjetivismo do romantismo. Uma das correntes do realismo foi o naturalismo, onde a objetividade está presente, porém sem o conteúdo ideológico.
 
O Realismo surge na pintura francesa. Enfatizam cenas da vida social do seu momento. Mostra crítica social. Enquanto o Romantismo exaltava os valores burgueses, o Realismo os analisa com  impiedosa visão crítica. Os artistas se interessam pela realidade social. Representam nas obras as diferenças sociais e desigualdades econômicas.
 
A característica marcante:  É a objetividade e a representação fiel da vida humana.
 
Arquitetura:
criação das novas necessidades urbanas devido as invenções industriais.
As cidades não exigiam mais palácios e templos as cidades precisavam de fábricas, estações ferroviárias, armazéns, lojas, bibliotecas, escolas, hospitais, e moradias populares. ( para os operários, etc .)
 
Esculturas:
não se preocupavam com a idealização da realidaade; preferiam temas contemporâneos; assumiam muitas vezes uma intenção politica em suas obras.
 
O escultor que mais se destacou foi Rodin. Seu primeiro trabalho foi " A idade de Bronze", onde revelou sua característica fundamental: a fixação do momento significativo de um gesto humano. Obra mais conhecida, O Pensador.
 
 
Principais Pintores e Escultor: 

Gustave Coubert
Édouard Manet
Honoré Daumier
Jean-Baptiste Camille Corot
Jean-François Millet
Théodore Rousseau
Rodin
 
Gustave Coubert ( 1810 - 1877 )
 
 
                             
                        Operários quebrando pedras                        Gustave  Coubert               Moça peneirando trigo
 

Considerado o criador do realismo social na pintura. retratou cenas do cotidiano da classe popular.
Ex: Moça peneirando o trigo.
 
 
Edouard Manet: ( 1832 - 1883 )
 
       
     Edouard Manet             Tocador de Pífaro                      Estação de trem                                           Almoço na relva
 
 
 
                   
                       O casarão                                              Gran canal Veneza                                    Paisagem marinha

Pertencia a uma família rica da burguesia parisiense e por isso seu trabalho reflete um certo ar aristocrático. Seus quadros que representavam uma ruptura com o academicismo, provocavam grandesescândalos. Alguns foram recusados pelo juri do salão, como os de outros artistas. Os autores, então, recorreram a Napoleão III, que determinou a montagem de uma exposição paralela que se chamou. o Salão doa Recusados.
Obra de Manet - Almoço na relva
 
Honoré-Victorien Daumier (26 de Fevereiro de 1808, Marselha - 10 de Fevereiro de 1879, Valmondois),
 
                              
                         Dom Quixote                         Honoré Daumier                                      Jogo de Xadrez
 
 
Foi um caricaturista, chargista, pintor e ilustrador francês. Ele foi conhecido em seu tempo como o "Michelangelo da caricatura". Atualmente ele também é considerado um dos mestres da litografia e um dos pioneiros do naturalismo.
 
 
Jean-Baptiste Camille Corot (Paris, 16 de Julho de 1796 — Ville-d'Avray, 22 de Fevereiro de 1875)
 
 
        
Paisagens    
 
 
                                               
                                          Moça                                    Camille Corot                     Catedral de Chartres
 
foi um pintor realista francês.Filho de uma família de comerciantes abastados, Jean-Baptiste Camille Corot, teve uma infâcia confortável e estável, tendo trabalhado numa loja do pai. Viajou para a Itália.De volta à França, abandonou o academicismo em favor de um estilo paisagístico realista. Construiu então, uma pintura puramente paisagista, rural e citadina e marcada pela mestria na gradação tonal de luzes e sombras e pelo rigor construtivo da composição. As suas obras apresentavam-se expressivas e possuidoras de uma linguagem muito própria, caracterizadas pela serenidade. Fato este devido à sua anterior permanência em Itália.
 
 
Jean-François Millet (4 de Outubro de 1814 – 20 de Janeiro de 1875) 
 
 
 
                   Campo                                  Descanso do almoço                               Millet                             As espigadeiras
 
 
                                     
                                                   As lavadeiras                                                   O fazendeiro
 
 
Pintor romântico e um dos fundadores da Escola de Barbizon na França rural. É conhecido como precursor do realismo, pelas suas representações de trabalhadores rurais. Junto com Courbet, Millet foi um dos principais representantes do realismo europeu surgido em meados do século XIX. Sua obra foi uma resposta à estética romântica, de gostos um tanto orientais e exóticos, e deu forma à realidade circundante, sobretudo a das classes trabalhadoras
 
 
Étienne Pierre Théodore Rousseau (15 de Abril de 1812, Paris - 22 de Dezembro de 1867, Barbizon)
 
      
Théodore Rousseau e suas paisagens
 
 
Foi um pintor realista francês, fundador da Escola de Barbizon. É considerado, por alguns, o precursor do Impressionismo.
 
 
Auguste Rodin (Paris, 12 de novembro de 1840 — Meudon, 17 de novembro de 1917)
 
                                                    
                                               A rocha e a pele humana                                              O pensador
 
 
                                                                      
                                                      O beijo                                               François Auguste René Rodin
 
                                  
 
                 
                                                                                                                                                                
                                                                                              
Vídeos:
 
  http://youtu.be/H-oDYnfzrVI     Realismo & Naturalismo  Falado 
 
 
 
 

 

Na Realidade

Nídia Vargas Potsch

( indriso )

 

Se os sonhos e a imaginação criam asas

Navegando por mundos oníricos,

A realidade nos convida a colocar os pés no chão.

 

A objetividade não quer dizer crueza

Das intenções que sobressaem aos olhos alheios

E sim, veridicidade naquilo que nos é apresentado.

 

O Real, possui autenticidade e verdade.

Pensamentos não são aprisionados na Realidade.

 

@Mensageir@

Rio, 2013 

 
 
Este é o 4º Capítulo - Parte 1  que lhes apresento:
Arte Realista na Europa 
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Até lá e Obrigada, Nídia.
 
 
 
 
 
Créditos:
Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte, Formatação : Marilda Ternura
Indriso:  Nídia Vargas Potsch
 
Bibliografia: 
1
) Apostilas do Colégio Pedro II
(Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2)  Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D
3) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.
4) A Arte de ver a Arte - Susan Woodford - Círculo do Livro - Univ. de Cambridge
5) História  Geral da Arte  -  Realismo - H. W. Janson

Fontes: 
Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube 
Música : 
 
 
 
 
 
Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 
     
Agradecimentos:

Ás duas Amigas e Poetas
 Luli Coutinho, Marilda Conceição,
e à Webdesigner Joice Guimarães;
e, a todos que contribuíram
para que este trabalho se tornasse possível.
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.

 

VOLTAR