O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA - 2013
Nídia Vargas Potsch
 
O Realismo no Brasil
 
Capítulo 4  -  Parte 1
 
 
Pintores realistas brasileiros:
 
 
Almeida Junior:  Brasileiro  -   Picando fumo
                                                     
     
    
 
José Ferraz de Almeida Junior foi pintor e desenhista brasileiro da segunda metade do Séc. XIX. Artista precoce, nascido na cidade de Itu. Foi precursor da abordagem da temática regionalista, introduzindo assuntos (temas) até então inéditos na produção da Academia Brasileira:
- amplo destaque conferido a personagens simples e anônimas.
- fidedignidade ao retratar a cultura caipira.
- supressão da monumentalidade em voga no ensino artístico oficial em favor do naturalismo.
 Foi o pintor que melhor assimilou o legado do realismo.
Almeida Júnior morreu precocemente, aos 49 anos, em 13 de novembro de 1899. Foi apunhalado em frente ao Hotel Central de Piracicaba, hoje já demolido, por José de Almeida Sampaio, seu primo e marido de Maria Laura do Amaral Gurgel, com quem o pintor manteve um relacionamento secreto por vários anos.
 
 
Outras obras    
     
                
                 O violeiro - 1899                                  pescando                             amolando o machado
 
      
                  Leitura - 1892                                 moça lendo  s/ data                    partida da monção - 1897
    
                   
      
                                  o descanso da modelo - 1882                         Cozinha caipira
 
 
                                                 
                                   recado difícil                           Oscar                                  Saudade - 1899     
 
 
 
Di Cavalcanti: Gostava de retratar mulatas.
 
 
            
               Di Cavalcanti                               Alegoria de Brasília                            Mural - S. Paulo - 1955

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo, mais conhecido como Di Cavalcanti (Rio de Janeiro, 6 de setembro de 1897 — Rio de Janeiro, 26 de outubro de 1976) foi um pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista brasileiro. Participou da Semana de Arte Moderna de 1922, expondo 11 obras de arte e elaborando a capa do catálogo.
 
Outras obras
 
               
                               bar                                            natureza morta                              gente do morro
 
 
                          
                              bahiana                             catálogo (capa)                         cinco mulheres       
 
 
                  
                               carnaval                                              maternidade                mulheres, flores e arara
 
  
                     
          mulata em rua vermelha                            samba                                            modelo no atelier
 
 
       
                   mulatas                                     mulher com gato                                          vaso de flores
 
 
 
Portinari:    Vasta obra nacionalista e popular
 
 
              
            Portinari  - Auto retrato                                 Café                                               Portinari

Candido Torquato Portinari (Brodowski, 29 de dezembro de 1903 — Rio de Janeiro, 6 de fevereiro de 1962) foi um artista plástico brasileiro. Portinari pintou quase cinco mil obras de pequenos esboços e pinturas de proporções padrão, como O Lavrador de Café, até gigantescos murais, como os painéis Guerra e Paz, presenteados à sede da ONU em Nova Iorque em 1956, e que, em dezembro de 2010, graças aos esforços de seu filho, retornaram para exibição no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
 
Portinari é considerado um dos artistas mais prestigiados do Brasil e foi o pintor brasileiro a alcançar maior projeção internacional.
 
  
Outras obras:
 
       
            Mestiço                           Dom Quixote                        Menina morta                         Cangaceiro
 
             
              Retirantes                                      Meio ambiente                                 Pipas: guache, óleo, caneta tinta
 
 
                                         
                                                                          Guerra e Paz     
                                                           
 
                                  
 
 
 
 
 
Vídeo:
 
  http://youtu.be/H-oDYnfzrVI - Realismo & Naturalismo  Falado 
 
 
 
 
 
 

 

Na Realidade

Nídia Vargas Potsch

(indriso)

 

Se os sonhos e a imaginação criam asas

Navegando por mundos oníricos,

A realidade nos convida a colocar os pés no chão.

 

A objetividade não quer dizer crueza

Das intenções que sobressaem aos olhos alheios

E sim, veridicidade naquilo que nos é apresentado.

 

O Real, possui autenticidade e verdade.

Pensamentos não são aprisionados na Realidade.

 

@Mensageir@

Rio, 2013 

 
 
Este é o 4º Capítulo - Parte 1  que lhes apresento:
Arte Realista no Brasil 
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Até lá e Obrigada, Nídia.
 
 
 
 
 
Créditos:

Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte, Formatação : Marilda Ternura
Indriso:  Nídia Vargas Potsch
 
Bibliografia: 

1
) Apostilas do Colégio Pedro II
(Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2)  Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D
3) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.
4) A Arte de ver a Arte - Susan Woodford - Círculo do Livro - Univ. de Cambridge
5) História  Geral da Arte  -  Realismo - H. W. Janson

Fontes: 
Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube 
Música :  Serenata para cordas
 
 
 
 
 
 
 
Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 
     
Agradecimentos:

Ás duas Amigas e Poetas
 Luli Coutinho, Marilda Conceição,
e à Webdesigner Joice Guimarães;
e, a todos que contribuíram
para que este trabalho se tornasse possível.
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.

 

 

 

VOLTAR