O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA - 2013
Nídia Vargas Potsch

Capítulo 3 - Parte 1
 
 
O Romantismo na Europa
( 1800 - 1850 )

A grande característica deste século é a velocidade de movimentos que produziram obras de artes segundo diferentes concepções e tendências. As causas para essa diversidade e tendências foram a revolução industrial que forçou o êxodo rural, o conflito entre o homem e a máquina ( falta de mão de obra especializada ) e a preocupação social - injustiça.
Os artistas desejavam encontrar um modo de se exprimirem que fosse verdadeiro e mais intenso. Queriam ir além da imagem em si e se expressar com as emoções do momento.  Desejavam a chance deles se expressarem com a alma e o coração.  Queriam demonstrar seus sentimentos. Suas emoções e a imaginação eram os valores buscados. E,  como Goethe, neste período, declarou: " Sentimento é tudo!"  Fez surgir, com mais ênfase, os movimentos chamados de Romantismo e o Realismo. O objetivo é a expressão da Emoção.
 
Temas:
Interesse por temas exóticos
 
Características:
predomínio da Emoção sobre a Razão;
liberdade de criação;
inconformismo com a realidade;
volta à Natureza;
nacionalismo.
 
Os românticos procuram se libertar das convenções acadêmicas ( neoclassicismo ) em favor da:
livre expressão da personalidade do artista;
valorização dos sentimentos e da imaginação ( paixões e emoções ),
nacionalismo (valorização dos heróis nacionais );
valorização da natureza e exaltação da liberdade humana.
 
Pintura:
Aproxima-se das formas barrocas, recuperando assim o dinamismo e o realismo. Podemos observar nos quadros a composição em diagonal ( instabilidade ) e o dinamismo ao observador. A cor é novamente valorizada, o Claro- Escuro, reaparece produzindo efeitos de dramaticidade.
 
Temas:
Fatos reais da histporia e contemporâneos;
a natureza ganha importância - ora calma, ora agitada.
 
Arquitetura:
Estilo neo-gótico e neo-barroco,
No Brasil a arquitetura sofreu influência européia Ex: Teatro Municipal.
 

Pintores Estrangeiros:
 
Na França
Eugène Delacroix  ( 1798 - 1863 ) romantismo tradicional
 
 
 
 
 
Obras:
 
 
                           
           
 
 
                                               
 
 
 
Liberdade guiando o povo
 
 
 
 
 
Henri-Julian Félix Rousseau  ( 1844 - 1910 ) 
Obra com caráter autodidata.  Paisagens e ingenuidade.
 
 
 
 
 
                            
 
 
                                           
 
              
     
 
 
 
Na Inglaterra:

 Johann Heinrich Füssli (  1741 - 1825 ) 
composições dramáticas e ao mesmo tempo dinãmicas.
 
retrato por James Northcote - 1778
 
Obras:
 
 
               
     As bruxas de Macbeth  -  1783                    O pesadelo -  1781                         O pesadelo - 1802
 
 
 
                                
                          O despertar de Titânia  -  1775                             Titânia e Botton - 1780
 
 
Jonh Constable  ( 1776 - 1837 ) paisagens mais coloridas.
Abandono do ateliê. Leitura direta da natureza.
 
Auto retrato
 
 
Obras:
 
                           
                                 Carro de feno                                            Catedral de Salisburry
 
 
 
 
Stonehenge
 
 
 
William Turner  ( 1775 - 1851 )
 considerado por muitos o precurssor do Impressionismo,
 em função dos seus estudos sobre a cor e a luz.
 
 
Auto retrato
 
 
Obras:
 
 
 
                             
                                     Calais -    1803                                      Naufrágio -    1805     
 
                                          
                                  Vesúvio - 1817                                  Castelo de Arundel - 1824  aquerela
 
 
 
 
O Romantismo em Portugal:
 
 
O Romantismo, movimento cultural que surgiu na Europa (mais concretamente na Inglaterra) na segunda metade do séc. XVIII era a expressão artística e literária da consciência burguesa da época Os três pilares (valores) que sustentam a corrente romântica são o individualismo, o subjectivismo e a intensidade. Esta acredita também no progresso, na liberdade e na bondade natural do homem corrompido pela sociedade.
No que se refere ao contexto histórico, quando o Romantismo chegou a Portugal, o país encontrava-se numa guerra civil entre liberais e absolutistas, mais precisamente no ano de 1825, data do início da época romântica no país, devido ao lançamento do poema Camões, de Almeida Garrett, que juntamente com Alexandre Herculano (outro grande romancista português), foram exilados para a Inglaterra devido aos conflitos existentes em Portugal.
O Romantismo em Portugal foi formado baseando-se nos princípios da liberdade, igualdade e fraternidade.
 

Almeida Garrett
 
 
Este inferno de amar
Almeida Garrett
 
Este inferno de amar — como eu amo!
Quem mo pôs aqui n’alma… quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é a vida — e que a vida destrói —
Como é que se veio a atear,
Quando — ai quando se há-de ela apagar?
 
Eu não sei, não me lembra; o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez… — foi um sonho —
Em que paz tão serena a dormi!
Oh! que doce era aquele sonhar…
Quem me veio, ai de mim! despertar?
 
Só me lembra que um dia formoso
Eu passei… dava o Sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Que fez ela? Eu que fiz? — Não no sei
Mas nessa hora a viver comecei…

 
Arquitetura:
 
 
Palácio da Pena - Sintra
Belo ex. de Arquitetura Portuguesa do sec. XIX.
 
 
 
Outra visão do Palácio da Pena
 
 
 
Jardins do palácio de Montserrat
 
 
Pinturas:
 
 
Tomás da Anunciação
 
 
 
J. C. da Silva - A passagem do Gado.
 
 
Senhora vestida de preto - António Ramalho
 
 
Rafael Bordalo Pinheiro
 
 
 
 
 
Linha do Tempo
 
 
 
 
 
Vídeos do Romantismo na Europa:

http://youtu.be/z7aWcBIhf1A romantismo contexto Histórico - falado
 
Rebeldia Cultural:
 
http://youtu.be/Ue_x3YmZ9nM  As origens da Rebeldia Cultural - Parte 1
 
http://youtu.be/MiXgjWP845M  As origens da Rebeldia Cultural parte 2
 
                                   
                                                                                                        
                        
 
                                            
                                       
                    
 
 
 
 
 
Ser Romântico
Nídia Vargas Potsch
 
 
 
Admirar-se!
Entregar-se à viagens interiores
exteriorizar emoções e sentimentos
  que envolvem nossos corações
 
Refugiar-se!
No interior deste mundo conturbado,
apaziguar os momentos contraditórios
que alimentam nosso espirito
e fazem resurgir os sonhos...
 
Amar-se!
Pois, acima de tudo é cortejar-se.
Contemplar, seduzir, eternizar e poetizar o
  Mundo através do olhar do Amor!
 
 
@Mensageir@
Rio, Abril/ 2013
 
 
 
 
 
Este é o segundo capítulo que lhes apresento:
Romantismo na Europa
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Até lá e Obrigada, Nídia.
 
 
 
 
 
Créditos:

Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte, Formatação : Marilda Ternura
Indriso:  Nídia Vargas Potsch
 
Bibliografia: 

1
) Apostilas do Colégio Pedro II
(Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2) 
Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D
3) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.
4) A Arte de ver a Arte - Susan Woodford - Círculo do Livro - Univ. de Cambridge
5) História Mundial da Arte Vol 4 -  Do Barroco ao Romantismo -  Ed. Bertrand

Fontes: 

Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube 
Música :  Arthur Moreira Lima - Fantasia Improviso, op 66
 
 
 
Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 
     
Agradecimentos:

Ás duas Amigas e Poetas
 Luli Coutinho, Marilda Conceição,
e à Webdesigner Joice Guimarães;
e, a todos que contribuíram
para que este trabalho se tornasse possível.
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.