O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA
 
Nídia Vargas Potsch

 
 
Pos-Impressionismo
 

O pós-impressionismo foi a expressão artística utilizada para definir a pintura e, posteriormente, a escultura no final do impressionismo, por volta de 1885, marcando também o início do cubismo, já no início do século XX. O pós-impressionismo designa-se por um grupo de artistas e de movimentos diversos onde se seguiram as suas tendências para encontrar novos caminhos para a pintura. Estes, acentuaram a pintura nos seus valores específicos – a cor e bidimensionalidade.

A maioria de seus artistas iniciou-se como impressionista, partindo daí para diversas tendências distintas. Chamavam-se genericamente pós-impressionistas os artistas que não mais representavam fielmente os preceitos originais do impressionismo, ainda que não tenham se afastado muito dele ou estejam agrupados formalmente em novos grupos.

Sentindo-se limitados e insatisfeitos pelo estilo impressionista, alguns jovens artistas queriam ir mais além, ultrapassar a Revolução de Monet. Aí se encontra a gênese do novo movimento, que não buscava destruir os valores do grande mestre, e sim aprimorá-los. Insurge-se contra o impressionismo devido à sua superficialidade ilusionista da análise à realidade. Movimentos impressionistas como o Pontilhismo ou o Divisionismo nunca são chamados pós-impressionistas mas sim de neo-impressionistas.

 


 Pintores  consagrados desta Época:
 
Vincent van Gogh; Paul Gauguin; Henri de Toulouse-Lautrec;
Paul Cézanne; Odilon Redon; Georges Seurat 
 
 
 
 
Vincent van Gogh  -  1887


Vincent Willem van Gogh nasceu em Zundert, 30 de Março de 1853 — Faleceu em Auvers-sur-Oise, 29 de Julho de 1890. Foi um pintor pós-impressionista neerlandês, frequentemente considerado um dos maiores de todos os tempos.

Sua vida foi marcada por fracassos. Ele falhou em todos os aspectos importantes para o seu mundo, em sua época. Foi incapaz de constituir família, custear a própria subsistência ou até mesmo manter contactos sociais. Aos 37 anos, sucumbiu a uma doença mental, cometendo suicídio.

A sua fama póstuma cresceu especialmente após a exibição das suas telas em Paris, a 17 de Março de 1901.

Terraço do Café em Arles 

  Ciprestes

O quarto

Árvore florida, 1888

            

  

Girassóis

Campo de trigo com Corvos

Noite Estrelada

 

Van Gogh é considerado um dos pioneiros na ligação das tendências impressionistas com as aspirações modernistas, sendo a sua influência reconhecida em variadas frentes da arte do século XIX, como por exemplo o expressionismo, o fauvismo e o abstraccionismo. O Museu Van Gogh em Amesterdão é dedicado aos seus trabalhos e aos dos seus contemporâneos.

        

                         

Gauguin - 1880

assinatura


Eugène-Henri-Paul Gauguin, nasceu em Paris, 7 de Junho de 1848 - Ilhas Marquesas, faleceu em  8 de Maio de 1903 foi um pintor francês do pós-impressionismo.
 
Apesar de nascido em Paris, Gauguin viveu os primeiros sete anos de sua vida em Lima, no Peru, para onde seus pais se mudaram após a chegada de Napoleão III ao poder. Seu pai pretendia trabalhar em um jornal da capital peruana e foi o idealizador da viagem. Porém, durante a longa e terrível viagem de navio acabou por ter complicações de saúde e faleceu. Assim, o futuro pintor desembarcou em Lima apenas com sua mãe e irmã.
Sua obra, longe de poder ser enquadrada em algum movimento, foi tão singular como as de Van Gogh ou Paul Cézanne. Apesar disso, teve seguidores e pode ser considerado o fundador do grupo Les Nabis, que, mais do que um conceito artístico, representava uma forma de pensar a pintura como filosofia de vida.
 
Suas primeiras obras tentavam captar a simplicidade da vida no campo, algo que ele consegue com a aplicação arbitrária das cores, em oposição a qualquer naturalismo, como demonstra o seu famoso Cristo Amarelo. As cores se estendem planas e puras sobre a superfície, quase decorativamente. 

 

Cristo Amarelo

 

 

Taitianas, 1899

auto-retrato

Vaimurati, 1890

                                                  
 
O pintor parte para o Taiti em busca de novos temas e para se libertar dos condicionamentos da Europa. Suas telas surgem carregadas da iconografia exótica do lugar, e não faltam cenas que mostram um erotismo natural, fruto, segundo conhecidos do pintor, de sua paixão pelas nativas. A cor adquire mais preponderância representada pelos vermelhos intensos, amarelos, verdes e violetas.
  

Toulouse -Lautrec 

Henri Marie Raymond de Toulouse-Lautrec  Monfa - Nasceu em Monfa Albi, 24 de Novembro de 1864, numa família aristocrática. Faleceu em Saint-André-du-Bois, 9 de Setembro de 1901. Foi um pintor pós-impressionista e litógrafo francês, conhecido por pintar a vida boêmia de Paris do final do século XIX. Sendo ele mesmo um boêmio, faleceu precocemente aos 36 anos de sífilis e alcoolismo. Trabalhou por menos de vinte anos mas deixou um legado artístico importantíssimo, tanto no que se refere à qualidade e quantidade de suas obras, como também no que se refere à popularização e comercialização da arte.

 

Baile no Moulin Rouge

Gabrielle

La Toilette, 1889 

Quadrilha no Moulin Rouge

Salão,1854

                     

           

Toulouse-Lautrec revolucionou o design gráfico dos cartazes publicitários, ajudando a definir o estilo que seria posteriormente conhecido como Art Nouveau. Filho mais velho do Conde Toulouse-Lautrec-Monfa, de quem deveria herdar o título, falecendo antes do pai.
  

Paul Cézanne


Paul Cézanne - Nasceu em Aix-en-Provence, 19 de janeiro de 1839 —Faleceu a  22 de outubro de 1906. Foi um pintor pós-impressionista francês, cujo trabalho forneceu as bases da transição das concepções do fazer artístico do século XIX para a arte radicalmente inovadora do século XX. Cézanne pode ser considerado como a ponte entre o impressionismo do final do século XIX e o cubismo do início do século XX. A frase atribuída a Matisse e a Picasso, de que Cézanne "é o pai de todos nós", deve ser levada em conta.

 

Após uma fase inicial dedicada aos temas dramáticos e grandiloquentes próprios da escola romântica, Paul Cézanne criou um estilo próprio, influenciado por Delacroix. Introduziu nas suas obras distorções formais e alterações de perspectiva em benefício da composição ou para ressaltar o volume e peso dos objetos. Concebeu a cor de um modo sem precedentes, definindo diferentes volumes que foram essenciais para suas composições únicas.

 

Cézanne não se subordinava às leis da perspectiva. E sim, as modificava. A sua concepção da composição era arquitectônica; segundo as suas próprias palavras, o seu próprio estilo consistia em ver a natureza segundo as suas formas fundamentais: a esfera, o cilindro e o cone. Cézanne preocupava-se mais com a captação destas formas do que com a representação do ambiente atmosférico. Não é difícil ver nesta atitude uma reação de carácter intelectual contra o gozo puramente colorido do impressionismo.

 

Residências

Paisagem

Natureza Morta

 Natureza Morta

                                                                                                                                  

 

Aquarela - paisagem

Sobre ele, Renoir escreveu, rebatendo o crítico de arte Castagnary: Eu me enfureço ao pensar que ele Castagnary não entendeu que Uma Moderna Olympia, de Cézanne, era uma obra prima clássica, mais próxima de Giorgione que de Claude Monet, e que diante dele estava um pintor já fora do Impressionismo.

Cézanne cultivava sobretudo a paisagem e a representação de naturezas mortas, mas também pintou figuras humanas em grupo e retratos

 

Redon

 

Bertrand-Jean Redon, conhecido como Odilon Redon Nasceu em Bordeaux, 20 de abril de 1840 —Faleceu em  Paris, 6 de julho de 1916.  Foi um pintor e artista gráfico francês, considerado o mais importante dos pintores do simbolismo, por ser o único que soube criar uma linguagem plástica particular e original.

Redon foi um dos membros mais destacados do movimento simbolista, cujas bases teóricas foram definidas pelos manifestos do poeta Mallarmé e pela estética romântica. Diferente da obra de seus colegas, a sua chegou aos limites da sugestão e da abstração, e pode-se dizer que, tanto formal quanto conceitualmente, chegou, de modo visionário, perto da futura vanguarda surrealista.
 

  

 

             Moça e Mulheres    -  Flores

         Sua iniciação teve mais a ver com a arte gráfica do que com a pintura. De fato, Redon aprendeu as técnicas da gravura com Bresdin, influenciado pela obra de Doré. Como pintor, interessou-se pelas paisagens da Escola de Barbizon e pela obra de Rembrandt.

 

Em 1884 fundou com Gauguin e Seurat o Salon des Indépendants (ou Salão dos Independentes) e também participou das exposições do grupo Le XX, em Bruxelas. A partir de 1890 relacionou-se com os poetas simbolistas Mallarmé e Huysmans. O marchand Durand-Ruel, interessado em sua obra, propôs uma exposição individual.

 

A técnica mais utilizada por Redon era o pastel, que lhe permitia trabalhar as cores com texturas diferentes e bastante mescladas. Seu mundo de visões e sonhos, povoado de criaturas estranhas e às vezes monstruosas, fascinou os jovens do grupo nabis e influenciou significativamente os surrealistas.

 

Suas gravuras são ricas com uma visão muito pessoal de um universo de sonho. Ele mesmo declarou, "...deixo livre a minha imaginação no sentido de utilizar tudo o que a litografia pode me oferecer. Cada uma das muitas peças é o resultado de uma procura apaixonada do máximo que pode ser extraído da conjugação do uso do lápis, papel e pedra".

 

Georges Seurat - 1888
  

Nascido num meio burguês; seu pai, um funcionário público, era um homem solitário e esta característica seria herdada por Seurat. Em 1877, ingressou na Escola Superior de Belas-Artes de Paris, onde visitaria frequentemente o Museu do Louvre, desde Jean-Auguste-Dominique Ingres e sofreria fortes influências de Rembrandt; Francisco Goya e de Puvis de Chavannes. Seus estudos seriam interrompidos por um ano por motivos de serviço militar na base de Brest - uma cidade do oeste francês—onde fez numerosos esboços de barcos, de praias e do mar.

 

De volta a Paris, em 1880, Seurat se torna Mirrestro, inspirado pela obra de Michel Eugène Chevreul: A lei do contraste simultâneo das cores 1839.

 

A técnica do pontilhismo utilizada por Seurat deu origem ao neo-impressionismo e foi extensivamente utilizada na arte do século XX. Pode-se dizer que a teoria pontilhista foi precursora da televisão e da imagem digital.

 

  Paisagem do campo

As modelos

Banhistas de Asniéres, 1886

                        

                                    

Uma tarde de Domingo no Grande Jatte, 1886

O Circo - Obra inacabada, 1891

  

Tal como Mondrian e Leonardo da Vinci, Seurat também recorreu à técnica da simetria dinâmica usando rectângulos de ouro nas suas pinturas.
 

Seurat morreu em Paris em 29 de março de 1891. A causa da morte de Seurat é incerta, e tem sido atribuída a uma forma de meningite, pneumonia, angina infecciosa e / ou (mais provavelmente) difteria. Seu filho morreu duas semanas depois da mesma doença. Seu último trabalho ambicioso, The Circus, foi deixada inacabada na época de sua morte.

 
 
 
 
Pos-Impressionismo
Nídia Vargas Potsch
 
 
Da palheta de van Gogh desponta o inusitado,
Paisagens deslumbrantes que nos surpreendem.
 Do Novo Mundo, Gauguin trouxe pintura inovadora.
 
 Lautrec, com belos cartazes, seguiu o itinerário dos bares,
 da vida boêmia, do Molin e se fez ilustre pintor;
E os virtuoses continuam: Cézanne, Redon, Seurat...
 
Roteiro de nuances, belezas que levam aos sonhos...
A cada cor, a cada pincelada observada, surge o êxtase!
 
@Mensageir@
Rio, ABR/2014
 
 
 
Vídeos:
 
 
 
http://youtu.be/Rve77XDdK0I  Van Gogh  - legendado
 
 
http://youtu.be/A2qvLmGtiok  Toulouse-Lautrec
 
http://youtu.be/VhIS67lEOqA  Toulouse -lautrec
 
http://youtu.be/5p9BVRAEnGk   Paul Gauguin, no Taiti
 
http://youtu.be/LmyXVTV1DBs  Paul Gauguin - Pintando passo a passo
 
http://youtu.be/KcYyfXyxICg   Georges Seurat
 
http://youtu.be/XJ0nuBihQyw  Georges Seurat  e o Pontilhismo
 
http://youtu.be/P8PSr1ydjtU    Odilon Redon
 
 
 
 
 
 
Este é o 3º Capítulo que lhes apresento
para o ano de 2014.
O Pos-impressionismo e seus Pintores
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Até lá e Obrigada, Nídia.
 
 
 
 
 
Créditos:

Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte, Formatação : Mara Pontes
Indriso:  Nídia Vargas Potsch
 
Bibliografia: 

1) Apostilas do Colégio Pedro II
(Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2)  Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D
3) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.
4) A Arte de ver a Arte - Susan Woodford - Círculo do Livro - Univ. de Cambridge
5) História  Geral da Arte  -   H. W. Janson
6) História da Pintura Ocidental - Juliet Hesle Wood

Fontes: 
Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube 
Música :  Debussy - Clair de Lune
 
 
 
Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 
    

Agradecimentos:

A todos que contribuíram
para que este trabalho se tornasse possível,
Às duas Amigas e Poetas
 Luli Coutinho, Marilda Conceição,
e às Webdesigner, Joice Guimarães e Mara Pontes
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.