O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA
 
Nídia Vargas Potsch


O Simbolismo

 

O Simbolismo  foi um movimento em que se aprofunda e radicaliza os ideais românticos, estendendo suas raízes à literatura, nos palcos teatrais, nas artes plásticas, uma característica da pintura européia nas últimas décadas do Século 19 (em especial entre 1880 e 1890), bastante presente, apesar de não ter sido realmente organizado como um movimento.

 

 

Ofélia- Odilon Redon

 

Histórico :

A partir de 1881, na França, poetas, pintores, dramaturgos e escritores em geral, influenciados pelo misticismo advindo do grande intercâmbio com as artes, pensamento e religiões orientais  procuram refletir em suas produções a atmosfera presente nas viagens a que se dedicavam. Na França, no final do século XIX, como oposição ao Realismo, ao Naturalismo e ao Positivismo da época. Os Simbolistas adotavam uma visão individual e pessoal sobre a realidade, mas não se concentravam nos princípio estéticos então vigentes. Fator influente: — crise da concepção positivista da vida.

Marcadamente individualista e místico, foi com desdém apelidado de “decadentismo” - clara alusão à decadência dos valores estéticos então vigentes e a uma certa afetação que neles deixava a sua marca. Em 1886 um manifesto traz a denominação que viria marcar definitivamente os adeptos desta corrente: Simbolismo que tinham  uma concepção mística do mundo.

Nas caracteristicas temos:

Uma ênfase em temas místicos, imaginários e subjetivos, características individualistas, uma desconsideração da questãos social abordada pelo Realismo e Naturalismo, estética marcada pela musicalidade (a poesia aproxima-se da música), as obras de arte eram baseadas na intuição, descartando a lógica e a razão, também era utilizados os recursos literários como a repetição de um fonema consonantal e a repetição de fonemas vocálicos. Na inspiração dos temas simbolistas costumavam vir de poesia do movimento, além de uma certa fixação em assuntos como a morte, a doença, o erotismo e até a perversidade. Há inúmeros artistas de estilos diferentes considerados simbolistas, por apresentarem traços do movimento em suas obras. Exemplos podem ser dados por nomes como Moreau, com a riqueza de suas pinturas exóticas, Puvis de Chavannes e a melancolia em seus quadros, Gauguin e suas imagens agradáveis. Até Munch é considerado, sob certos aspectos, um artista simbolista.        

 

                     

  Nascimento de Vênus

 Desnudo, Begonia y Cabezas

 Viejo alado con barba blanca

                      

 

Principais características:

Subjetivismo

Os simbolistas terão maior interesse pelo particular e individual do que pela visão mais geral. A visão objetiva da realidade não desperta mais interesse, e sim está focalizada sob o ponto de vista de um único indivíduo. Dessa forma, é uma poesia que se opõe à poética parnasiana e se reaproxima da estética romântica, porém mais do que voltar-se para o coração, os simbolistas procuram o mais profundo do “eu”, buscam o inconsciente, o sonho.

                                                                Musicalidade

A musicalidade é uma das características mais destacadas da estética simbolista, segundo o ensinamento de um dos mestres do simbolismo francês, Paul Verlaine.

Transcendentalismo

Um dos princípios básicos dos simbolistas era sugerir através das palavras sem nomear objetivamente os elementos da realidade. Ênfase no imaginário e na fantasia. Para interpretar a realidade, os simbolistas se valem da intuição e não da razão ou da lógica. Preferem o vago, o indefinido ou impreciso.

Uma ênfase em temas místicos, imaginários e subjetivos, características individualistas, uma desconsideração da questãos social abordada pelo Realismo e Naturalismo, estética marcada pela musicalidade (a poesia aproxima-se da música),

As obras de arte eram baseadas na intuição, descartando a lógica e a razão. Há inúmeros artistas de estilos diferentes considerados simbolistas, por apresentarem traços do movimento em suas obras. Exemplos podem ser dados por nomes como Moreau, com a riqueza de suas pinturas exóticas, Puvis de Chavannes e a melancolia em seus quadros, Gauguin e suas imagens agradáveis. Até Munch é considerado, sob certos aspectos, um artista simbolista.

Eram utilizados os recursos literários como a repetição de um fonema consonantal e a repetição de fonemas vocálicos. Na inspiração dos temas simbolistas costumavam vir de poesia do movimento, além de uma certa fixação em assuntos como a morte, a doença, o erotismo e até a perversidade.

 

   Meandros -  O carro do sol guiado por apolo  -  Ramos e folhas

Painel - O Dia   e seus detalhes

 Características Gerais:
     ( Resumidas )

 subjetivismo
arte pela arte
 linguagem vaga, que busca sugerir em vez de  nomear
 abundância de metáforas, comparações, aliterações,
 assonâncias e sinestesias
cultivo do soneto e de outras formas de composição  poética
 musicalidade
 antimaterialismo, antirracionalismo
flexibilidade formal
 busca do elemento místico, não-consciente, espiritual,  imaterial
 pessimismo, dor de existir - interesse pelo indefinido e pelo mistério
conhecimento ilogico e intuitivo
valorização dos sentidos e das sensações
 correspondências simbólicas entre o mundo visual e as essências

 

 

Violette Heymann  

O Dia

                                        

 Simbolismo nas Artes plásticas

Oriundo do impressionismo, Paul Gauguin deixa-se influenciar pelas pinturas japonesas que aparecem na Europa, provocando verdadeiro choque cultural - e este artista abandona as técnicas ainda vigentes nas telas do movimento onde se iniciou, como a perspectiva, pintando apenas em formas bidimensionais.

                                                          No Brasil

No Brasil o simbolismo teve início no ano de 1893, com a publicação de duas obras de Cruz e Souza: Missal (prosa) e Broquéis (poesia). O movimento simbolista na literatura brasileira teve força até o movimento modernista do começo da década de 1920.

 Em Portugal

Eugénio de Castro

 

O Simbolismo em Portugal liga-se às atividades das revistas Os Insubmissos e Boêmia Nova, fundadas por estudantes de Coimbra, entre eles Eugênio de Castro, que ao publicar um volume de versos intitulado Oaristos, instaurou essa nova estética em Portugal.

Na  França

Em França outros artistas, como Gustave Moreau , Odilon Redon, Maurice Denis, Paul Sérusier e Aristide Maillo, aderem à nova estética.

 

Mariposas

 Flores

 

 Principais artistas simbolistas 

Literatura internacional: Charles Baudelaire (autor da obra - As flores do mal (1857) que é considerada um marco no simbolismo lliterário), Charles-Pierre Baudelaire (Paris, 9 de abril de 1821 — Paris, 31 de agosto de 1867) foi um poeta boémio ou dandi ou flâneur e teórico da arte francesa. É considerado um dos precursores do Simbolismo e reconhecido internacionalmente como o fundador da tradição moderna em poesia, juntamente com Walt Whitman, embora tenha se relacionado com diversas escolas artísticas. Sua obra teórica também influenciou profundamente as artes plásticas do século XIX.
 

Charles Boudelaire


TArthur Rimbaud, Stéphane Mallarmé, Paul Verlaine, entre outros .

Literatura brasileira: Cruz e Souza

 

 

Filho dos escravos alforriados Guilherme da Cruz, mestre-pedreiro, e Carolina Eva da Conceição, João da Cruz desde pequeno recebeu a tutela e uma educação refinada de seu ex-senhor, o marechal Guilherme Xavier de Sousa - de quem adotou o nome de família, Sousa. A esposa de Guilherme Xavier de Sousa, Dona Clarinda Fagundes Xavier de Sousa, não tinha filhos, e passou a proteger e cuidar da educação de João. Aprendeu francês, latim e grego, além de ter sido discípulo do alemão Fritz Müller, com quem aprendeu Matemática e Ciências Naturais.

 

Alphonsus de Guimarans, escritor e poeta.

A poesia de Alphonsus de Guimaraens é marcadamente mística e envolvida com religiosidade católica. Seus sonetos apresentam uma estrutura clássica, e são profundamente religiosos e sensíveis na medida em que explora o sentido da morte, do amor impossível, da solidão e da inaptação ao mundo.
Contudo, o tom místico imprime em sua obra um sentimento de aceitação e resignação diante da própria vida, dos sofrimentos e dores. Outra característica marcante de sua obra é a utilização da espiritualidade em relação à figura feminina, que é considerada um anjo, ou um ser celestial. Alphonsus de Guimaraens é simultaneamente neo-romântico e simbolista., entre outros.
Teatro: Maurice Maeterlinck, Gabriele d'Annunzio, entre outros.

Maurice Polydore Marie Bernard Maeterlinck (Gante, 29 de agosto de 1862 — Nice, 5 de maio de 1949) foi um dramaturgo, poeta e ensaísta belga de língua francesa, e principal expoente do teatro simbolista.

Maurice Maeterlinck

 

Maurice Maeterlinck


Artes Plásticas: Odilon Redon, Paul Gauguin, Gustave Moreau, entre outros.

 


Odilon Redon
1840 - 1916


Redon foi um dos membros mais destacados do movimento simbolista, cujas bases teóricas foram definidas pelos manifestos do poeta Mallarmé e pela estética romântica. Diferente da obra de seus colegas, a sua chegou aos limites da sugestão e da abstração, e pode-se dizer que, tanto formal quanto conceitualmente, chegou, de modo visionário, perto da futura vanguarda surrealista.

 

                                     

Sua iniciação teve mais a ver com a arte gráfica do que com a pintura. De fato, Redon aprendeu as técnicas da gravura com Bresdin, influenciado pela obra de Doré. Como pintor, interessou-se pelas paisagens da Escola de Barbizon e pela obra de Rembrandt.

 

 Paisagem de Peyrelebade

 La celda de oro

  Margaridas

                       

                                                                                                                   

Em 1884 fundou com Gauguin e Seurat o Salon des Indépendants (ou Salão dos Independentes) e também participou das exposições do grupo Le XX, em Bruxelas. A partir de 1890 relacionou-se com os poetas simbolistas Mallarmé e Huysmans. O marchand Durand-Ruel, interessado em sua obra, propôs uma exposição individual.

 

                          

A técnica mais utilizada por Redon era o pastel, que lhe permitia trabalhar as cores com texturas diferentes e bastante mescladas. Seu mundo de visões e sonhos, povoado de criaturas estranhas e às vezes monstruosas, fascinou os jovens do grupo nabis e influenciou significativamente os surrealistas.

 

Pescadora

 

Chavannes

 

Suas gravuras são ricas com uma visão muito pessoal de um universo de sonho. Ele mesmo declarou, "...deixo livre a minha imaginação no sentido de utilizar tudo o que a litografia pode me oferecer. Cada uma das muitas peças é o resultado de uma procura apaixonada do máximo que pode ser extraído da conjugação do uso do lápis, papel e pedra".

 

 

 Painel  - A Noite

                                            

 

                                                      Concluindo:

O início do Simbolismo não pode, no entanto, ser identificado com o término da escola antecedente, o Realismo. Na realidade, no final do século XIX e início do século XX três tendências caminhavam paralelas: O Realismo e suas manifestações (romance realista, romance naturalista e poesia parnasiana); O simbolismo, situado à margem da literatura acadêmica da época; e o pré-modernismo nas artes e com o aparecimento de alguns autores preocupado em denunciar a realidade brasileira, como Euclides da Cunha, Lima Barreto e Monteiro Lobato, entre outros.


 

  Simbolismo
Nídia Vargas Potsch
( indriso )
 
 
Com vivências adquiridas através de viagens
Poetas, pintores, escritores, dramaturgos,
Mesclavam misticismo com pensar religioso.
 
Temas intuitivos, imaginários, destacavam-se
Na visão individual e pessoal da realidade,pois
Não confiavam nos valores estéticos vigentes.
 
Simbolismo, diferentes estilos em traços exóticos.
 
Na musicalidade da arte há poesia em movimento!

 

Vídeos:

 

            http://youtu.be/DvT5e9NTco4  Simbolismo - falado
 
           http://youtu.be/5CwaLw-pTsI Simbolismo - falado
 
 
 
 
   http://youtu.be/G0-dAPdivLs    Odilon Redon
 
   http://youtu.be/5W2YI2zbpbk    Odilon Redon
 
 http://youtu.be/t_tNa6dAiE8     Odilon Redon
 
  http://youtu.be/8n2F5yRIGNk    Odilon Redon
 
   http://youtu.be/jt2K4E5KNGY     Odilon Redon
 

 

 

 
 
 
Este é o 5º Capítulo que lhes apresento
para o ano de 2014.
O Simbolismo
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Até lá e Obrigada, Nídia.
 
 
 
 
 
Créditos:

Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte, Formatação : Mara Pontes
Indriso:  Nídia Vargas Potsch
 
 
Bibliografia: 

1) Apostilas do Colégio Pedro II
(Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2)  Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D
3) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.
4) A Arte de ver a Arte - Susan Woodford - Círculo do Livro - Univ. de Cambridge
5) História  Geral da Arte  -   H. W. Janson
6) História da Pintura Ocidental - Juliet Hesle Wood
7) O Livro da Arte - Martins Fontes
8) Redon - Editôra Globo

Fontes: 
Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube 
Música :  Noturno
 
 
 
 
Pintura: Angel Esteves - Galícia - Espanha
 
 

Agradecimentos:

A todos que contribuíram
para que este trabalho se tornasse possível,
Às duas Amigas e Poetas
 Luli Coutinho, Marilda Conceição,
e às Webdesigner, Joice Guimarães e Mara Pontes
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.
 

 

 

 

 

VOLTAR