O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA
Nídia Vargas Potsch
 

 
O Barroco
                                                                    


      A Arte Barroca na Europa  - Introdução:
 
 
 
Mapa da Europa na época do Barroco
 
O nome “barroco” deriva da palavra espanhola barueco (que simbolizava uma pérola de forma irregular) e foi atribuído no final do século XVII a este estilo, contendo uma intenção pejorativa derivada do fato de nessa altura este período ser ainda visto como a fase de decadência do Renascimento. Apenas nos inícios do século XX é que o barroco é devidamente reconhecido.
 
No Século XVII, desenvolveu-se um estilo de arte conhecido por Barroco. Este novo estilo artístico – o barroco – nasceu em Itália (Roma), a partir das experiências maneiristas de finais do século XVI e rapidamente se expandiu para outros países europeus, atingindo mais tarde as colonias espanholas e portuguesas da América Latina e da Ásia. Roma era o centro da arte barroca. Artistas de toda Europa afluíam para lá a fim de descobrir os últimos estilos da moda e de estudar as grandes obras da Roma Antiga e da Alta Renascença.
 
O barroco - adaptava-se sobretudo a pintura de grandes dimensões. O tipo de pintura que se espera encontrar numa Igreja ou num Palácio. Nos países católicos romanos, tais como Itália, Flandres e Espanha havia grande procura de obras com estas características.
 
 
Hotel dos Inválidos - Paris
 
 
Ao contrário da simplicidade e serenidade do estilo renascentista, o barroco caracterizava-se pelo movimento, pelo dramatismo e pelo exagero. O barroco era uma arte espectacular e faustosa e, nas igrejas, atraía os fiéis, impressionando-os. Por isso foi denominado a arte da Contra-Reforma.
 
Nesta época, os tetos pintados estavam muito em voga. Os artistas pintavam tão inteligentemente as estruturas de pedra, que vistas do chão pareciam reais. As personagens também eram pintadas como vistas de baixo e pareciam flutuar no ar. Este efeito tem o nome de ILUSIONISMO.
 
Barroco > significa absurdo, grotesco. Foi empregado por artistas que insistiram na utilização de formas semelhantes às gregas e romanas. Na pintura o destaque fica para a técnica trompe l'oeil  em tetos e paredes de palácios e de igrejas
 
 
A Pintura
 
Técnica Trompe L'oeil
 
 
                                              
                                     Apoteose de  Santo Inácio                                 Triunfo da Divina Providência
                                            Andréa Pozzo                                                              Pietro da Cortona
 
 
Um estilo que traduzia todas as características do Barroco: grandiosidade, teatralidade, movimento, tentativa de representar o infinito, mistura de diversos gêneros artísticos. O jogo de luz e sombra é marcante e os motivos, os mais variados possíveis. vida de santos, soberanos, heróis, ou personagens mitológicos, tudo acmpanhado de uma revoada de anjos. Utilização de linhas espirais e contorcidas dando movimento. Dualidade entre o bem e o mal e as  incertezas expressas no Barroco.
 
Um importante pintor barroco italiano foi  Caravaggio (1571-1610). Famoso pelas pinturas religiosas nas quais os contrastes entre a luz e sombra na modelação dos corpos e dos espaços introduz uma atmosfera dramática de intensa espiritualidade. Em suas pinturas podemos perceber as características marcantes do barroco, que, na Itália, foi impulsionado pela reestruturação da Igreja Católica.
 
 
 
Caravaggio
 
 
 
A expansão marítima de Portugal significou também a difusão e o desenvolvimento da arte barroca. Nas colônias, populações nativas e escravas eram doutrinadas no cristianismo, garantindo a conservação da Igreja Católica contra-reformista, que enfrentava dificuldades em vários pontos da Europa. As primeiras manifestações artísticas do barroco chegaram à América com a Companhia de Jesus, quando Portugal ainda estava sob domínio espanhol, e continuaram durante o processo de colonização do território português, a partir da restauração da Coroa.
 
                             
                
 
Azulejaria portuguesa
 
A escultura em madeira, a talha dourada e a azulejaria usadas no barroco brasileiro, são heranças do barroco português.
 
 


 A Arquitetura Barroca:

Durante o período barroco, duas tipologias protagonizaram as pesquisas formais e construtivas: o palácio e a igreja. Os arquitetos barrocos entendiam o edifício de forma integrada, como se fosse uma grande escultura, única e indivisível. A sua forma era ditada por complexos traçados geométricos (muitas vezes baseados em formas curvas e em ovais) que imprimiam qualidades dinâmicas aos espaços e às fachadas. Ao mesmo tempo, abandonaram-se os rígidos esquemas baseados nas ordens clássicas.
 
Quanto à arquitetura palaciana, o palácio barroco era construído em três pavimentos. Em vez de se concentrarem num só bloco cúbico, como os renascentistas, parecem estender-se sem limites sobre a paisagem, em várias alas, numa repetição interminável de colunas e janelas. A edificação mais representativa dessa época é o Palácio de Versalhes, manifestação messiânica das ambições absolutistas de Luís XIV, o Rei Sol, que pretendia, com essa obra, reunir ao seu redor - para desse modo debilitá-los - todos os nobres poderosos das cortes de seus país. Seguindo o exemplo do Palácio de Versalhes, são construídas nas diversas cortes europérias palácios faustosos, cercados de jardins imensos, aproximando-se do que logo viria a ser o neoclassicismo.
 
A arquitectura caracterizou-se pelo uso de colunas, frisos, fron­tões, arcos e cúpulas; nas fachadas curvas e contra curvas e nichos. Como decoração recorreu-se a baixos-relevos, pinturas, mosaicos, mármores e talha dourada.
 
 
Chateaux de Versailles - França
 
 
Chateaux e Jardins de Versailles
 
 
Schonbrunn - Viena
 
 
Palácio Zwinger,  Alemanha - Dresden
 
 
 
Wuerzburg - Alemanha
 
 
 
Características da Pintura:
 
 
Na pintura verificou-se, neste período, para além da transformação estilística, o alargamento dos gêneros e das próprias dimensões desta forma de arte, de maneira a integrar organicamente os espaços arquitetônicos.
 
Esta pintura em trompe l'oeil, aplicada em paredes e tectos constituiu uma das mais originais contribuições do Barroco.
 
Esta actividade artística recorreu a cores quentes (amarelos, vermelhos, dourados), a jogos de luzes e sombras; e a arte do retrato acentuou-se.
 
 
Pintura Barroca em parede de palácio - Alemanha.
 
 
 
Os Grandes Pintores
 
O mais influente pintor deste período foi o italiano Caravaggio.
 
A pintura barroca flamenga afirmou-se através do trabalhos de dois artistas, bastante diferentes entre si: Peter Paul Rubens, autor de uma pintura vigorosa, sensual e teatral, e Rembrandt van Rijn, pintor mais introvertido, executou inúmeros auto-retratos inspirados na linguagem intensa e dramática de Caravaggio.
 
Na Espanha, a pintura atingiu um elevado nível artístico, protagonizada por Diego Rodríguez da Silva e Velásquez, por Bartolomeu Murillo e por Francisco Zurbarán. Velásquez, pintor oficial da corte e um dos mais originais artistas barrocos, realizou a sua obra-prima, "As Meninas", em 1629.
 
 
                                                                                    
                                  Principe Baltazar Carlos                           Nossa Senhora da Conceição
                                             Velázquez                                                    Murillo
 
 
 
Na França, ao caravagismo de sentido intimista da pintura de Georges de La Tour opõem-se a vertente mais classicista dos trabalhos de Nicolas Poussin e o caráter cenográfico das pinturas de Charles le Brun para o Palácio de Versalhes.
 
 
                                                                                     
                O trapaceiro com ás de Ouros - Louvre                           Chanceler Séguier- 1655-57  Louvre
                                     Georges de La Tour                                                                 Charles le Brun
 
 
 
 
                                        
                                                 Caravaggio                                             Velazquez - Casa de Marta e Maria
 
 
 
Escultura:
 
A Escultura em busca e algo novo:

Trabalhando para a Igreja e para os reis, a classe artística ganha efetivamente respeito e fama. Mas, por volta do século XVI, ocorre uma crise na arte, mudando, mais uma vez, a forma de representação artística. A arte atingiu a perfeição e agora nada mais resta a fazer, a não ser copiar o que já havia sido feito. Foi nessa tentativa de buscar algo além da perfeição que surge um movimento artístico conhecido como Barroco. Cansados da razão, da harmonia e da clareza renascentista, as esculturas produzidas se voltam para a emoção, a imaginação e a tensão. Os gestos harmônicos são substituídos por gestos inesperados e fora do comum. O escultor Bernini e sua obra "O êxtase de Santa Teresa" representam o dinamismo e o movimento dramático da escultura barroca.
 
Características da escultura
 
Na escultura barroca procurou-se explorar o dramatismo das figuras representadas, tentando suscitar os sentimentos do observador. Esta arte caracterizou-se pelo movimento, expressão de sentimentos fortes (dor, sofrimento, paixão) e pelo grande exagero das formas.
 
 
                    
                                                                           
                                                         Êxtase de Santa Terezinha                       Detalhe da cabeça
                                                 Bernini -  1598 - 1680
 
 
Principais representantes do Barroco Europeu:
 
  Carraci     ( família )
Claude Lorrain
Nicolas Poussin

Johannes Vermeer
        Michelangelo Merisi da Caravaggio
  Peter Paul Rubens
Bartolomé Esteban Murillo
Diego Velásquez
  Doménikos Theotokópoulos, El Greco 
  ( maneirismo entre o renascentismo e o barroco)
Rembrandt Harmenszoon van Rijn
Francisco José de  Goya
 
 
 

            Muitas características do Barroco que eram comuns aos países e regiões:
 
 
-   a tendência para a representação realista;
 
-   a procura do movimento e do infinito;
 
-   a tentativa de integração das diferentes disciplinas artísticas;
 
-   emocional sobre o racional: o seu propósito é impressionar os sentidos do observador, baseando-se no princípio segundo o qual a fé deveria ser atingida através dos sentidos e da emoção e não apenas pelo raciocínio;
 
-   busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas, colunas retorcidas;
 
-   violentos contrastes de luz e sombra;
 
-   pintura com efeitos ilusionistas, dando-nos às vezes a impressão de ver o céu, tal a aparência de profundidade conseguida;
 
-   a amplitude, a contorção e a exagerada riqueza ornamental, ausência de espaços vazios e o gosto pela teatralidade.
 

 * * * * *
 
Conclusão:
 
 
O Barroco foi um estilo artístico marcadamente do século XVIII e característico das monarquias absolutistas. Surgindo depois do Renascimento este estilo tem características muito próprias como, por exemplo, a amplitude, o movimento, o exagero nas formas e a teatralidade. O barroco fez-se sentir nas mais variadas formas de arte: arquitetura, pintura, escultura, literatura, música, teatro, ópera.
 
A literatura barroca, por exemplo,  se caracteriza pelo uso da linguagem dramática expressa no exagero de figuras de linguagem, de hipérboles, metáforas, anacolutos e antíteses.
A literatura barroca é fruto do conflito característico de sua época. Pressionado pela igreja e pelo racionalismo, o homem perde-se entre dois pólos opostos:
 
 IGREJA X PENSAMENTO RENASCENTISTA
 
SALVAÇÃO X PECADO
 
CÉU X INFERNO
 
ESPIRITO X CARNE
 
CARNE X RAZÃO
 
 
Quanto à  música barroca, estamos ouvindo no momento.   ( The Best of Baroque )

O drama barroco tipicamente usa motivos clássicos mas tenta trazê-los para o mundo moderno, muitas vezes centrando a ação na figura do monarca. Para a expressão desses conflitos um recurso técnico comum é a alegoria.

O teatro barroco herdou os avanços renascentistas na construção de cenários com perspectivas ilusionísticas.
 
O primeiro grande teatro permanente fora erguido em Florença em meados do século XVI, e no século seguinte vários outros apareceram.
 
                                                      
                                    Curral de Comédias                                        Cia. de Comédia dell'arte - palco livre   
                             Teatro espanhol  Sec XVII                                                  1657 - Karel Dujardins
 
 
 
 
Interior de uma Casa de Ópera Barroca -  Sec. XVII
 
 
No fim do século XVI nasceu um dos gêneros teatrais mais importantes, a ópera, que foi concebida inicialmente como uma ressurreição do drama clássico grego, mas logo se desenvolveu para tornar-se a súmula de todas as artes, envolvendo representação, dança, música e um complexo aparato cênico para a produção de efeitos especiais. Também reservada de início às elites, logo se tornou apreciada pelo povo, fazendo imenso sucesso em quase toda a Europa.
 
 
* * * * * *
 
 
Novo Estilo, Novas Sensações!
Nídia Vargas Potsch
 
 
 
Entre contrastes violentos de luz e sombras,
 o emocional versus o racional,
mexe e revoluciona os sentimentos!
 
 Sensações de movimento,
a grandiosidade expressa até ao exagero,
a riqueza sempre presente e exibicionista,
uma teatralidade calculada
pela mostra de dramaticidade,
são caracteristicas inovadoras
regadas ao luxo e ao fausto...
 
Seus efeitos decorativos e visuais
chamando atenção com retorcidas colunas,
muitas curvas, anjos ao redor...
Provocando efeito ilusionista de profundidade,
o chamado Trompe l'oiel,
exibido em tetos e paredes de Igrejas e Palácios.
 
A este Novo Estilo criado
deu-se o nome de Barroco, a Pérola irregular!
 
 
@Mensageir@
Rio, 25/06/2012
 
 
 
* * * * * *
 
 
Vídeos:

( Vídeos do Youtube para complementar o que foi dito acima. ) 

 
 
      http://youtu.be/HbZODoaYwgk       narrado
 
                                               http://youtu.be/FSIr3ecVgPo  -    pintores e artistas do Barroco
 
 
  Barroco,  narrado -  8 partes
 
 
                                                                       http://youtu.be/IQ_82nVFlEU    -    Parte 1   
 
http://youtu.be/rY0N6kNIGFA   -  Parte 2  
 
http://youtu.be/WZn0yQ1frPA     -   Parte 3  
 
http://youtu.be/p8LA3K6gPvM   -   Parte 4  
 
http://youtu.be/jYUUrC_9J58    -   Parte 5
 
http://youtu.be/U-9n53GXaZA    -   Parte 6 
 
http://youtu.be/p0eSACd9vLM    -  Parte 7
 
http://youtu.be/to_siH-I-Lo      -     Parte 8
 
 
 
 
* * * * * * * * * *
 
 
Espero que tenham apreciado este novo Estilo de Arte.
Veremos os principais pintores representantes desta época a seguir.
 
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Obrigada, NVP.
 
 
 
* * * * *
 
Créditos:
Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte, Formatação : Auber Fioravante Jr.

 

Bibliografia: 
1
) Apostilas do Colégio Pedro II 

 (Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2) História Mundial da Arte - A Arte Barroca - Bertrand Editora. Vol 4

3) Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D

4) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.

5) Saber ver a arte barroca  - Martins Fontes - Juan-Ramón Triadó


Fontes: 
www.planetaeducacao.com.br
Consultas e Fontes: Wikipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube

 
 
 

 
 
Agradecimentos:
Aos três Amigos e Poetas:
Luli Coutinho, Marilda Conceição e Auber Fioravante Jr.
à Webdesigner Joice Guimarães;
e, a todos que contribuíram para que este trabalho se tornasse possível. 
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.