O FASCINANTE UNIVERSO
DAS ARTES D'ALMA - 2012
Nídia Vargas Potsch
 
 
 
O Barroco Brasileiro
                Uma visão geral dos seus principais artistas            
             ( última etapa de 2012 )            
                                                                                                                   
 
Matriz N. S. do Pilar - Minas Gerais
( detalhe lateral )
 
 
Introdução
 
O Barroco no Brasil encontrou um terreno receptivo para um rico florescimento. Fez sua aparição no país no início do século XVII, introduzido por missionários católicos, especialmente jesuítas, que para cá se dirigiram a fim de catequizar e aculturar os povos indígenas, no contexto da colonização portuguesa das nossas terras vastas e virgens.

As características mais típicas do Barroco, descrito usualmente como um estilo dinâmico, ornamental, dramático, cultivando os contrastes e a expressão emocional, mais seu caráter narrativo e sua plasticidade sedutora, veiculam um conteúdo programático articulado com requintes de retórica e grande pragmatismo.
 
A arte barroca brasileira foi uma arte em essência funcional, prestando-se muito bem aos fins a que foi posta a servir: além de sua função puramente decorativa, facilitava a absorção da doutrina católica e dos costumes europeus pelos neófitos - índios e logo em seguida negros - mas também fomentava o cultivo e confirmava a fé e as tradições dos conquistadores cristãos, que haviam chegado para dominar e explorar todo esse grande território, impondo-lhe sua cultura.
 
Com o passar do tempo, os elementos dominados, neste caso mais o negro do que o índio, mais os artesãos populares de uma sociedade em processo de integração e estabilização, começaram a dar ao Barroco importado feições novas, originais, e por isso considera-se que essa aclimatação constitua um dos primeiros testemunhos da formação de uma cultura genuinamente nacional.
 
No Brasil, já no século XVII as construções passam a ser mais elaboradas e orientadas por arquitetos e mestres de obra. Seguem modelos europeus adaptados ao nosso clima. São utilizados materiais disponíveis encontrados na colônia, dando um toque mais regional a obra.
 
Na pintura destaca-se Frei Ricardo de Pilar que chegou aqui por voltade 1666 permanecendo toda sua vida no Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro. Nesse Mosteiro existem inúmeros painéis pintados por ele em estilo barroco onde intensifica-se o colorido, a dramaticidade. o contraste do claro-escuro e linhas bastante rebuscadas.
 
Frei Ricardo - detalhe 1690
 
 
 
 
Fundado em 1598 - Mosteiro de S. Bemto - Rio de Janeiro
 
 
             
                        Altar Mór                              Capela do Santíssimo                               Nave
 
 
Também de grande importância para a pintura brasileira foi a presença de dois pintores estrangeiros, holandeses, que romperam a tradição de pintar motivos religiosos e passaram a retratar paisagens, cenas do cotidiano, figuras de índios, animais, pessoas etc. Eram eles:
 
Frans Post  -  que pintava a natureza e cenas do cotidiano nos engenhos.
 
                    
         Rio são Francisco                                 Muro com cavalos e escravos                        Engenho e capela
 
 
Albert Eckhout  -  que pintava o cotidiano indígena.
         
Dança dos tapuas
 
                                 
                                  Frutas brasileiras                          Indio tapuia                                    Mulher negra
   
 
 
Comparando-se as manifestações artísticas dos seculos XVII e XVIII, nota-se que no período Barroco, no Brasil, também encontramos diferenças marcantes, distanciando-se dos modelos europeus e favorecendo uma cultura mais regional.
 
Trazido ao Brasil pelos portugueses adquire aqui uma feição particular, diferente da européia. As regiões mais desenvolvidas e ricas tais como: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco zonas de mineração e comercialização do açúcar, encontramos igrejas e prédios públicos e residências onde entalhes em madeira eram recobertos por camadas de ouro.
 
Já nas regiões mais pobres as igrejas apresentam talhas modestas e trabalhos realizados por artistas menos experientes e famosos. Quanto aos artistas do período barroco já encontramos nomes brasileiros que se destacam pela inventividade e técnica como:
 

 Francisco  das Chagas - " O Cabra";
 Valentim Fonseca e Silva - " Mestre Valentim" ( R J ); 
 Manuel da Costa Ataíde - Mestre Ataíde.
Antônio Francisco Lisboa - " O Aleijadinho"  ( MG. );
 
 
 
Francisco Xavier das Chagas
 

Francisco das Chagas, o Cabra, foi um escultor brasileiro ativo em Salvador no século XVIII.
Pouco se sabe a seu respeito. Em 1758 foi contratado pela Ordem Terceira do Carmo de Salvador para esculpir três imagens de Cristo; um Crucifixo, um Cristo sentado sobre uma pedra, e um Senhor dos Passos, cuja identificação é problemática, possivelmente tendo desaparecido no incêndio da igreja do Carmo em 1788.
 Contudo a tradição o aponta como autor de outras peças, como o Cristo Morto e o Cristo da Coluna na mesma igreja, e um São Pedro de Alcântara no Convento de São Francisco.
 
                             
                               Senhor Morto                                                Cristo na Coluna
 
 
 
Valentim Fonseca e Silva
"Mestre Valentim"
 
Mestre Valentim - É considerado o ponto máximo da escultura no Rio de Janeiro. Era mestre em ligas metálicas. O maior escultor do Brasil colonial, depois do Aleijadinho.
 
Nascido entre 1740 e 1750 e faleceu em 1813.

Pertenceu à irmandade de Nossa Senhora do Rosário. Sua obra encontra-se toda no Rio de Janeiro.
Na igreja da Santa Cruz dos Militares, toda obra de talha interna, além das imagens em madeira de São Mateus e São João, hoje no Museu Histórico Nacional.

Realizou também vários projetos arquitetônicos, como o chafariz  das Marrecas, da Praça do Carmo e trabalhos urbanisticos, como o plano do Passeio Público, feito em colaboração com outros pintores da época. Infelizmente, hoje não se pode dimensionar com exatidão a extensão da obra de Valentim, pelo muito que se perdeu.
                                      
                                    Plano do Passeio Público                                          Chafariz das Marrecas
 
 
 
                                  
                                   Entalhe anjos                                           Capela do Noviciado
 
 
 
                                             
          Esculturas metálicas que pertenciam ao chafariz das Marrecas e foram levadad para o Jardim botânico .
 
 
Manoel da Costa Ataíde
" Mestre Ataíde"
 

Autor de volumosa obra, de alta qualidade, dono de traços ora calmos, ora torturados e de uma variedade de cores rica e complexa.
Nasceu por volta de 1762.
O domínio da tecnica, o poder dos traços, a extensão da obra fazem dele o maior vulto da pintura colonial brasileira.
Sua maior obra é o teto da nave da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, em Ouro Preto.
 
Igreja de São Francisco de Assis
 
       
Teto da Igreja de S. Francisco
 
 
                                       
                                             Assunção da Virgem  e anjos músicos  -  detalhes  da pintura mural,
                                  anjos e elementos decorativos  no teto da Igreja de São Francisco - MG.
 
                    
Agonia e Morte de São Francisco - Mariana
 
 
Madona, São Simão e o Menino
 
 
 
Antônio Francisco Lisboa
" O Aleijadinho"
( 1730 - 1814 )
 
Retrato presumido
 
 
 
Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho,  foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial. O maior artista mineiro deste período e um dos mais destacados do Brasil.
 
Pouco se sabe com certeza sobre sua biografia, que permanece até hoje envolta em cerrado véu de lenda e controvérsia, tornando muito árduo o trabalho de pesquisa sobre ele e ao mesmo tempo transformando-o em uma espécie de herói nacional. A principal fonte documental sobre o Aleijadinho é uma nota biográfica escrita somente cerca de quarenta anos depois de sua morte. Sua trajetória é reconstituída principalmente através das obras que deixou, embora mesmo neste âmbito sua contribuição seja controversa, já que a atribuição da autoria da maior parte das mais de quatrocentas criações que hoje existem associadas ao seu nome foi feita sem qualquer comprovação documental, baseando-se apenas em critérios de semelhança estilística com peças documentadas.
 
Toda sua obra, entre talha, projetos arquitetônicos, relevos e estatuária, foi realizada em Minas Gerais, especialmente nas cidades de Ouro Preto, Sabará, São João del-Rei e Congonhas. Os principais monumentos que contém suas obras são a Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos. Com um estilo relacionado ao Barroco e ao Rococó, é considerado pela crítica brasileira quase em consenso como o maior expoente da arte colonial no Brasil e, ultrapassando as fronteiras brasileiras, para alguns estudiosos estrangeiros é o maior nome do Barroco americano, merecendo um lugar destacado na história da arte do ocidente.
 
 
Vista de Ouro Preto - Igreja do Carmo ao fundo
 

Devido a amizade que tinha com irmãos de ordens religiosas, pode apreciar as gravuras e textos dos livros sagrados.
Aleijadinho conheceu o mundo através de texto e de ilustrações que lhe tocaram a sensibilidade. Configura-se portanto, a parcela de autodidatismo em sua formação artística.
Por volta dos 49 anos ficou doente. Hanseníase Nervosa - que lhe consumiu os dedos e no fim atingiu sua visão.
Ele de joelhos imprimiu sua arte em Igrejas, trabalhando com o cizel amarrado no que lhe restava das mãos.
Apesar dos preconceitos em relação a artistas e mestiços, ele desfrutou de celebridade em vida. As pessoas do povo saudavam-no respeitosamente e os religiosos gostavam muito dele.
 
 
 
Suas principais obras são:

- Conjunto do Santuário de Bom Jesus de Matosinhos
( 66 imagens em madeira talhadas - Via Sacra)
      - Os 12 Profetas em pedra-sabão ( Congonhas do Campo )
Expostos ao ar livre.
 
 
 
                   
Igreja do Bom Jesus de Matosinhos - Congonhas
 
 
Detalhe dos profetas
 
 
                                                          
Os Doze Profetas - pedra sabão
 
Aqui, cópias para estudo feitas em Silicone.
 
 
 
Via Sacra
 
 
Flagelação de Cristo
 
 
Coroação de espinhos
 
 
Santa Ceia
 
 
                                                 
                                      Cristo carregando a cruz                      Cristo no Horto das Oliveiras
 
 
 
Anjo da Paixão
 
 
Madona
 
 

* * *
 

 

O Barroco no Brasil

Nidia Vargas Potsch

  

Ao final do século XVII

as minas descobertas marcaram

o início do ciclo do ouro,

impulsionando, assim, a Colônia brasileira,

principalmente, Minas Gerais,

que passou então a ser

o centro da riqueza aurífera

e da criação artística que

 tomou novos rumos e novas diretrizes.

 

Deu-se  início a um sentimento nativista.

Nossos artistas saíram do anonimato,

se deram a conhecer

e foram mais valorizados.

Embora as manifestações artísticas que surgiram,

 se distinguissem umas das outras,

o que acentuou as diferenças regionais,

não causaram grandes divergências

 ou competições entre elas.

Todas encontraram espaço

em seu contexto.

 

Ao contrário, vieram a enriquecer

 nosso acervo artístico 

dando ênfase às diversidades

 em torno da corrente do Barroco.

E o Barroco Brasileiro surgiu

tendo grande aceitação entre nós!

Brilhou com grandes artistas como Aleijadinho!

 

@Mensageir@
Rio, 18/10/2012
 
 
 
Vídeos:

( Vídeos do Youtube para complementar o que foi dito acima. ) 

 

 
O Barroco Brasileiro -  http://youtu.be/Mf8ueO4P6E4
 
 
 
O Barroco no Brasil e em Portugal - http://youtu.be/7oj_i7ptxRs
 
  O Aleijadinho 
 
  http://youtu.be/SyCJZvlBYCg   relíquias sacras.
 
 
  http://youtu.be/aBMF599WFE4   Aleijadinho e suas obras de arte - Narrado
 
  http://youtu.be/h8YhuRAgoBA  Os 12 Profetas de Aleijadinho
 
  http://youtu.be/4z3kqjnRX2I  Igreja Bom  Jesus de Matosinhos
 
 
Mestre Ataíde -  http://youtu.be/bD8a1CB_Ao4
 
                           http://youtu.be/N_mZYfyR8pI
 
 
Mestre Valentim -   http://youtu.be/t91p90N2iic
 
Igreja N. S, do Carmo da Lapa do Desterro -  http://youtu.be/6q-arXlkSYg
 
Chafariz Mestre Valentim - http://youtu.be/ayHmYpdyCxc
 
 
     * * *
 
 
 
Qualquer pergunta ou dúvida, por e-mail, ok?
Obrigada, NVP.
 
 
* * *
 
 
 

Créditos:


Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte,  Formatação : Marilda Ternura

 

Bibliografia: 


1) Apostilas do Colégio Pedro II

(Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo) 
2) História Mundial da Arte - O Barroco  - Bertrand Editora. Vol 4

3) Arte Comentada - Carol Strickland, Ph. D

4) Para entender a Arte - Robert Cumming - Ed. Ática.

5) Arte no Brasil -  Nova Fronteira - Oscar Niemayer.

 

Fontes: 

Consultas e Fontes: Wkipédia. 
Imagens e textos auxiliares do Google.
Videos - Youtube

Música : Barroca  -  Bach - Tempereted Klavier
 

 

 

Agradecimentos:
Aos três Amigos e Poetas:
Luli Coutinho, Marilda Conceição e Auber Fioravante Jr.
à Webdesigner Joice Guimarães;
e, a todos que contribuíram para que este trabalho se tornasse possível. 
Meu profundo reconhecimento e carinho, Nídia.
 

 VOLTAR