O FASCINANTE UNIVERSO DAS ARTES
Nídia Vargas Potsch
 
 
A ARTE ROMANA

Os Legionários Romanos

A legião romana era a divisão fundamental do exército romano. Além de sua importância militar, também se constituíram num poderoso elemento de difusão da cultura romana. Daí observarmos como e porque foram criadas, sua evolução ao longo dos períodos, influências em outros povos.
 

Legionário era um infante de Roma, conhecido por ser um soldado bem treinado e organizado. Ele usava basicamente um escudo retangular de 1,5 metros, uma armadura especial que podia ser produzida em vários locais e depois montada assim acelerando sua produção (primórdios da produção militar moderna), um gládio, uma pilo, sandálias de couro, um elmo e malha de ferro trançada.

Eles andavam em pequenos grupos, grupos de 10 que formavam grupos de 80 que recebiam ordens de seu centurião. A Legião no total contava com 4000 a 8000 homens, sendo que a maioria eram formadas por 4800 Legionários. Para além dos soldados, há que contar com os inúmeros servos, escravos e seguidores que os acompanhavam. Durante as suas campanhas na Gália, as legiões de Júlio César eram compostas por não mais de 3.000 soldados.

Também chamado de miles ("soldado") ou legionarius em latim, o legionário romano era, normalmente, um cidadão romano com menos de 27 anos de idade. Um soldado era alistado numa legião para um tempo de serviço de 25 anos, uma mudança na prática anterior de alistamento para apenas uma campanha (batalha). Os últimos 5 anos de serviço de um legionário veterano eram prestados em serviços mais leves. a marcha por entre territórios inimigos, um legionário era equipado com uma armadura (lorica segmentata ou mais comumente chamada lorica hamata) e um escudo (scutum), um capacete (galae) e dois dardos (um pesado chamado pilum e outro leve chamado hasta), uma espada curta (gladius), uma adaga (pugio), um par de sandálias resistentes e pesadas (caligae), uma sarcina (bolsa de carga) que continha comida para algo em torno de 14 dias, material para cozinhar, duas estacas (sudes murales) um tipo de cerca romana, uma pá e um cesto de usos gerais.

Calçados com solados reforçados

Um soldado romano era submetido a rigorosos treinamentos; a disciplina era a base para o sucesso do exército. Os soldados eram constantemente treinados com armas e especialmente treinados em marchas, marchas forçadas com toda a carga que um soldado pudera carregar e em formação de guerra. Como já foi dito, a disciplina era muito importante nas legiões e quaisquer infrações eram severamente punidas pelos centuriões.

Immunes eram soldados especializados em atividades secundárias, tais como engenharia, carpintaria e medicina. Esses homens eram treinados como qualquer outro legionário no entanto e poderiam ser colocados em batalhas se necessário fosse. Eles eram excluídos de algumas tarefas mais trabalhosas e cansativas tais como as marchas citadas acima, e eram mais bem pagos que seus camaradas legionários comuns.

                                                                           Pagamentos (soldos)

Do tempo de Júlio César em diante, os legionários recebiam 225 dináres (denarii) por ano; essa soma permaneceu imutável até o tempo de Tito Flávio que aumentou essa quantia para 300 dináres por ano. Ao contrário da inflação controlada do século II, não houve nenhuma mudança na quantia paga aos legionáriosaté a era de Septímio Severo, que aumentou o salário para 500 dináres ao ano. Todos os legionários recebiam uma quantia 3000 dináres e/ou um pedaço de terra fértil ao fim de seus serviços como soldados. Mais tarde, no tempo de Caracala, essa soma foi aumentada para 5000 dináres.

agrupamento em defesa

                                   Origem e evolução das legiões

As legiões tiveram origem quando Roma era ainda uma cidade modesta, que enfrentava constantes conflitos com povos vizinhos, como etruscos, samnitas, vênetos e outros. Começaram com um dever patriótico, pelo qual todo romano livre, do sexo masculino e maior de idade tinha o dever de pegar em armas, quando necessário, para defender a cidade. Passado o perigo, o exército dispersava-se e cada um voltava às suas atividades normais. Mais tarde, com a expansão territorial que viria a dar origem ao Império Romano, surgiu a necessidade de um exército profissional, que estivesse disponível permanentemente e pudesse ser enviado para onde fosse necessário. Daí em diante, as legiões passaram a ter caráter voluntário. Em geral não havia falta de interessados, já que o soldo de um legionário era consideravelmente superior ao salário dos trabalhadores comuns, além de (salvo exceções) ser pago com regularidade. Inicialmente só cidadãos romanos podiam ingressar nas legiões, o que não significa que exclusivamente italianos as integrassem: filhos de cidadão romanos nascidos nas províncias, muitas vezes de mães nativas, eram igualmente cidadãos. O componente principal da legião era a infantaria pesada, formada por soldados que lutavam a pé, armados com pilo e gládio. protegidos por uma lorica segmentata, um escudo retangular convexo e um capacete, sendo que o mais utilizado no período foi o modelo imperial gálico. Suas duas maiores lições são copiadas, até hoje, pelos exércitos do mundo todo: disciplina e estratégia. Evolução da legião.O armamento de bronze ou de ferro variava de acordo com a classificação do cidadão. Nos primeiros tempos, a infantaria atacava sem ordem definida de batalha, sendo frequentes os combates singulares. E depois, foi adotada a disposição da falange na ordem de combate.

Vestimentas e utensílios dos legionários romanos

                                                            Alistamento e baixa
 
O exército romano, para melhorar os pontos fracos da cavalaria, alistava soldados dos povos dominados.

Quem lutasse na legião e saísse vivo, ganhava a cidadania romana. Para lutar, os legionários usavam uma lança, uma espada curta e um pequeno punhal. Para se defender, uma armadura e um escudo gigantesco. Não havia uma idade determinada para alistar-se, mas a maioria dos candidatos a legionários sentava praça logo ao atingir a maioridade, o que, entre os romanos, acontecia aos 17 anos. Embora tenha havido variações ao longo do tempo, durante a maior parte da história das legiões o tempo de serviço regulamentar era de vinte anos. Ao dar baixa, o legionário fazia jus a uma recompensa em dinheiro equivalente a um ano de soldo, por vezes com um bônus para os que concordassem em fixar residência na província onde houvessem servido por último. Com isso, o ex-soldado podia comprar um pedaço de terra ou abrir um negócio. Legionários reformados morando nas províncias tornavam-se, assim, fazendeiros, comerciantes ou artesãos, geralmente casavam-se com mulheres locais, e era muito provável que seus filhos viessem futuramente a se tornar também legionários. Dessa forma, as legiões, além de sua importância militar, também se constituíram num poderoso elemento de difusão da cultura romana.

soldado com lança

um legionário

 

um gládio

um capacete

legionários em marcha

 

Vídeos do You tube para complementar
o que foi dito acima.
 
Se desejar ver mais (existem um grande número deles para serem vistos,
basta acessar o you tube em Roma Antiga, LEGIONÁRIOS.)
Obrigada, NVP.
 
Armamentos de um legionário romano
http://youtu.be/JwZB4Z3pLW0

 
Os Legionários e seus acampamentos ( falado)

http://www.youtube.com/watch?v=ZFod8gp3jss

 

 

Créditos:
Texto e compilações: Nídia Vargas Potsch
Arte e back: JoiceGuimarães
Música: Da trilha sonora do filme Gladiador - Earth
Imagens: Google.
Consultas e Fontes: Wikipédia.      
Videos - Youtube


Bibliografia:
1) Apostilas do Colégio Pedro II - (Organizada pelas Profas. de Artes Visuais do Colégio, onde me incluo)
2) História de Roma - Mário Curtis Giordani
3) Como seria sua vida na Roma antiga - Indicado para crianças e início da adolescência - Editora Scipione.
4) Povos do passado - Ed. Melhoramentos - Para adolescentes.


 

 

Voltar